Estratégias de Custos

Quais investimentos fazem maior diferença na manutenção?

De alguns anos para cá, a Indústria 4.0 trouxe tecnologia, conectividade e muita eficiência para as empresas. Os equipamentos se modernizaram, os fornecedores de insumos precisaram se adequar e a busca pela maior produtividade da planta colocou a manutenção das máquinas em destaque. Para essa área, houve, também, avanços significativos. Sensores, drones e máquinas de distribuição de lubrificantes automatizam e geram dados importantes para ancorar a tomada de decisão. Entretanto, a grande quantidade de soluções disponíveis ainda deixa muitos gestores sem saber quais investimentos em manutenção, realmente, fazem a diferença.

Antes de mais nada, é preciso reforçar que todos os recursos alocados em manutenção devem ser encarados como investimento, não como custo. Mas, também, vale ressaltar que a tecnologia precisa ser vista como um fator estratégico. Se dela não puderem ser extraídas informações relevantes, corre-se, sim, o risco de estar distribuindo mal o orçamento. E é, justamente, para ajudá-lo a discernir o que pode, ou não, ser útil para o seu negócio, que elaboramos este artigo.

O texto que você lerá a seguir é um compilado do material Os investimentos em manutenção que fazem diferença, que está disponível, gratuitamente, para download. Nele, estão outras informações que evidenciam a importância da manutenção em tempos de Indústria 4.0 e insights que ajudarão a propor mais recursos para o setor.

Agora, confira quais são os investimentos em manutenção mais importantes para a indústria brasileira! Acompanhe.

4 investimentos em manutenção imprescindíveis para o mercado 4.0

Por mais que um cenário de corte de gastos constantes seja a realidade de muitos, os investimentos em manutenção são determinantes para quem entende que a Indústria 4.0 já é uma realidade. Confira, abaixo, os principais.

1. Conectividade

Um dos preceitos mais importantes da Indústria 4.0 é a visão holística que ela propõe sobre as empresas. Hoje, os setores não atuam mais de maneira isolada e todos devem estar alinhados para alcançar um único objetivo. Isso quer dizer que a manutenção tem uma série de “stakeholders” internos que precisam estar a par do andamento dessa área. Entre eles, podemos citar o de suprimentos, responsável por cotar e realizar as compras de insumos. Este, por sua vez, tem ligação direta com o financeiro, que determina o orçamento disponível para as aquisições. 

Esses exemplos, mesmo que básicos, mostram como a comunicação livre entre os departamentos é importante. Portanto, os investimentos em manutenção não podem acontecer de forma isolada, mas, sim, se estender, também, aos níveis gerenciais.

2. Automação  

As tendências da automação voltada à manutenção estão ligadas às inovações que permitem, em tempo real, acompanhar o estado de funcionamento dos ativos. Agora, é possível ter acesso a informações que, antes, eram impossíveis de coletar em tempo real, como o estado do lubrificante e a previsão exata de desgaste de cada componente.

Ao alocar investimentos na manutenção, busque por ferramentas que realizem operações e leituras que seriam inviáveis de realizar manualmente. Atente-se, também, àquelas que diminuam os riscos de colapso e acidentes, bem como reduzam a intervenção humana nos processos, mitigando as chances de imperícia de operadores.

Caso de sucesso: Como uma mineradora do Vale do Jequitinhonha otimizou suas operações com PETRONAS Hydraulic

3. Captação de dados 

Os dados são, na verdade, a grande riqueza que circula dentro de uma empresa. Esse pilar da Indústria 4.0 tem um papel fundamental na hora de planejar e executar as ações de manutenção. Realizados os investimentos em automação citados acima, é possível colher uma série de informações que só são acessíveis por meio da tecnologia. Umidade, vibração e temperatura são exemplos.

Atualmente, alguns softwares são capazes de analisar essas informações e determinar as medidas que devem ser implementadas. Utilizando, ou não, a tecnologia para a análise dos dados captados, é preciso saber o que fazer com os insights obtidos por meio dela.

4. Recursos humanos

A Indústria 4.0 também impacta o quadro de colaboradores de uma empresa. Afinal, é preciso que as pessoas que lidarão com a tecnologia consigam interagir com ela, além de conseguir interpretar os dados captados. Mais que deixar os Recursos Humanos a par das necessidades do mercado na hora de fazer novas contratações, é interessante adotar medidas que englobem os colaboradores que já atuem na empresa. Planos de treinamento e atualização são ótimas ferramentas para fazer com que a mão de obra se torne cada vez mais eficiente.

Com a nova indústria já sendo uma realidade, realocar os trabalhadores do serviço de manufatura para auxílio estratégico é uma maneira de manter o índice de empregabilidade no setor. Ainda no tema da atualização, os responsáveis pela manutenção podem treinar os envolvidos com as operações a identificar problemas e passar instruções sobre as rotinas de checagem dos equipamentos.

A manutenção industrial como fator competitivo

Os investimentos em manutenção devem ser constantes e nunca sair do radar dos gestores. Poder planejar as atividades com base na confiabilidade dos equipamentos faz com que a produção se mantenha. Nos casos em que os cuidados preditivos e preventivos são negligenciados, a qualquer momento uma máquina pode colapsar e afetar toda a rotina, gerando custos incalculáveis para a empresa.

A nova revolução pela qual a indústria passa, traz para o chão de fábrica a tecnologia e a conectividade necessárias para a automatização de processos. Com menos intervenção humana, menores são os riscos de falhas. Aumenta-se, também, a produtividade, a assertividade das demandas e a qualidade das entregas.

Claro que com muito mais equipamentos na produção, a manutenção passa a ser um ponto-chave para a competitividade. Grandes players do mercado já utilizam ferramentas que auxiliam na classificação das máquinas, ordem de prioridades e geração de calendários. E, mais que isso: dão à manutenção a prioridade necessária para que atue não mais de forma corretiva, mas proativa, identificando e mitigando os problemas em tempo hábil.Neste artigo, trouxemos apenas alguns dos investimentos em manutenção mais importantes para a indústria. O material completo, com todos os insights para o setor, você encontra neste link. Cadastre-se, também, no canal do Inovação Industrial no Telegram e receba, em primeira mão, novas dicas e artigos sobre a Indústria 4.0.

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %