uso de lubrificantes uso de lubrificantes

Erros no uso de lubrificantes nas indústrias que você não pode cometer

6 minutos para ler

Qualquer erro no uso de lubrificantes pode sair caro para uma indústria. Faltou, sobrou ou aplicou incorretamente o produto? As consequências podem surpreender negativamente. Até descuidos com a estocagem e escolhas equivocadas de lubrificantes podem causar grandes prejuízos, como a quebra de máquinas e paradas inesperadas na linha de produção.

É preciso lembrar que o lubrificante é fundamental para o bom funcionamento do maquinário industrial. Além de servir para amenizar o atrito entre peças móveis, esse insumo ainda pode regular a temperatura, evitar a corrosão e limpar os componentes internos do equipamento.

Uma máquina bem lubrificada mantém sua eficácia operacional com boa produtividade ao longo de sua vida útil.

Neste post, vamos destacar alguns dos principais erros no uso de lubrificantes que você não deve cometer. Por mais que alguns sejam básicos, não custa relembrar a importância para você não correr o risco de cometer esse tipo de falha. Confira!

Quais são os principais erros?

Falta ou excesso de lubrificante

A imprecisão na quantidade de lubrificante usada é um dos erros operacionais mais comuns na aplicação desse produto.

Tentar economizar ou simplesmente confundir a quantidade certa pode fazer com que a lubrificação seja insuficiente, não cumprindo com seus propósitos. Eventualmente, isso resultará em danos no maquinário.

Da mesma forma, despejar uma enorme quantidade de lubrificante não resolve o problema. Além do prejuízo com o desperdício, o excesso pode causar uma série de falhas na operação, especialmente quando são empregadas graxas mais espessas.

Na dúvida, o responsável pela manutenção deve sempre recorrer ao manual para verificar a lubrificação correta.

Escolha de lubrificantes errados

Outro tipo de falha que infelizmente acontece com certa regularidade é a escolha de lubrificantes inadequados para os equipamentos. A verdade é que não existe um lubrificante universal. Cada máquina demanda um tipo diferente de produto para funcionar bem.

Entenda: aplicar um lubrificante que funciona para o equipamento X no equipamento Y pode não dar certo. Muitas vezes, em indústrias com vários pontos de lubrificação, pode até acontecer de o operador se confundir.

Geralmente, porém, essa falha acontece por falta de conhecimento do time de manutenção ou por suporte falho do fornecedor do equipamento.

Descumprimento do plano de manutenção

Cada equipamento demanda um cronograma de manutenção preventiva para evitar falhas inesperadas e quebras. Não cumprir com as recomendações dos fabricantes é o mesmo que assumir um risco imenso sobre o investimento feito naquela máquina.

O plano de manutenção nunca deve ser descumprido. E essa orientação também vale, claro, para a lubrificação! Deixar de fazer as trocas recomendadas pode acelerar o desgaste das peças móveis e reduzir a vida útil do equipamento.

Estocagem inadequada

Por mais absurdo que possa parecer, ainda existem empresas que falham na estocagem dos seus lubrificantes, deixando os produtos expostos a chuva, sol e umidade.

Como a água pode comprometer qualquer tipo de lubrificante, é um elemento que nunca deve estar presente onde esse produto é armazenado. Até a poeira pode contaminar o lubrificante e causar estragos em máquinas. É preciso prestar bastante atenção, assim, ao local de armazenamento desses produtos.

Limpeza insuficiente do equipamento

Ainda que muitos lubrificantes exerçam o papel de limpar peças internas de máquinas, isso não significa que eles fazem todo o trabalho sozinhos. Um equipamento muito sujo pode contaminar o produto da mesma forma que a poeira no local de armazenagem.

É importante realizar limpezas regulares para evitar que a sujeira se acumule. Isso vale tanto para a parte externa como para os pontos de lubrificação. A periodicidade da limpeza é definida principalmente pelas condições operacionais da máquina e pelo tipo de material que ela processa.

Atraso no período de troca

Seja por descuido ou por falta de planejamento de manutenção, o atraso no período de troca do lubrificante pode ser prejudicial para sua eficiência. Como tanto a fabricante do equipamento como a produtora do lubrificante fazem recomendações sobre esse período, o ideal é adotar aquela orientação que recomenda o menor intervalo de tempo.

Não dar a devida atenção ao período de troca dos lubrificantes pode resultar em quebras inesperadas e aumento nos custos da manutenção, além de prejuízos para a produtividade geral.

Escolha do lubrificante pelo preço

Ao contrário do que muita gente pensa, o preço definitivamente não é o único fator determinante para a escolha de um lubrificante. As áreas de compra e manutenção têm que buscar fornecedores por uma série de fatores. O preço é apenas um deles.

É preciso encontrar lubrificantes que sejam aprovados nas normas solicitadas pelo fabricante da máquina e que atendam a uma série de outros parâmetros importantes. Além disso, é essencial atentar para a origem do fabricante e para a qualidade do produto.

Como evitar esses erros?

Boa parte dos erros listados até aqui podem ser evitados com uma medida relativamente simples: a elaboração de um planejamento de manutenção eficiente, construído de acordo com as recomendações dos fabricantes dos equipamentos e dos produtores dos lubrificantes, além das próprias demandas operacionais do negócio.

Para construir esse planejamento, é importante contar com o suporte de especialistas do mercado de lubrificantes, profissionais e empresas que possam alertar o time de manutenção sobre esses erros, dando instruções claras e oferecendo treinamentos sempre que necessário.

Quem entende de lubrificantes na indústria é capaz de avaliar com detalhes o equipamento e o processo em que ele está inserido, como a carga, a temperatura, a rotação e a intensidade do uso.

A partir daí, é possível entender qual será o produto mais adequado para a lubrificação, além de outras informações importantes, como os períodos de trocas e as quantidades de uso.

Ainda assim, é recomendável que profissionais do setor de manutenção sempre tenham um conhecimento básico sobre lubrificantes, o que envolve saber a diferença entre óleos lubrificantes e graxas, por exemplo.

O trabalho na indústria não abre brechas para falhas de nenhuma natureza. Qualquer erro operacional pode resultar em paradas inesperadas e, no melhor dos casos, prejuízos. No pior cenário, a gestão pode ter que lidar com acidentes de trabalho graves com os trabalhadores.

Agora que você já conhece os erros que deve evitar no uso de lubrificantes, aproveite para ler sobre os tipos de lubrificantes industriais e suas aplicações!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário