Manutenção Industrial

Manutenção de frota na mineração: como fazer corretamente?

Ao falarmos em manutenção de frotas, muitos associam diretamente aos automóveis utilizados por representantes, vans de transporte de colaboradores ou caminhões que realizam as entregas. Entretanto, quando o assunto é o segmento de mineração, estamos nos referindo a veículos muito maiores ― e mais exigidos. Caminhões de fora de estrada, carregadeiras e escavadeiras são os principais exemplos, dentre outros presentes apenas na etapa da extração do minério.

Esses são equipamentos que trabalham sob condições extremas, portanto, mantê-los no radar dos gestores é fundamental para garantir a produtividade da indústria. Por conta dessa e de outras particularidades do setor, realizar a manutenção da frota na mineração pode ser um grande desafio para os responsáveis por esse trabalho. 

Para entender melhor como realizar esse cuidado da maneira correta, conversamos com o engenheiro e executivo de serviços técnicos da PETRONAS, Eliezer Vasconcelos de Abreu, que falou mais sobre o assunto. “A manutenção de frota na mineração, de fato, é um ponto crítico e que exige muito cuidado. Os clientes PETRONAS têm todo um controle rigoroso sobre isso, pois a disponibilidade de equipamentos tem sido cada vez mais importante para o setor. Evitar as manutenções corretivas é o principal objetivo. Quando ela acontece, significa que há uma interrupção nos processos e um equipamento parado, que gera muito mais prejuízo ― financeiro e competitivo ― para a usina”.

Confira, a seguir, as principais questões levantadas pelo especialista e saiba como garantir a manutenção de frota da mineradora.

Os principais desafios da manutenção de frota na mineração

“Esta não é uma particularidade do setor da mineração, mas é perceptível no dia a dia como os clientes do segmento têm se preocupado mais com os cuidados preditivos e preventivos”, comenta Eliezer. Um dos principais motivos para essa nova rotina de trabalho dá-se, em parte, pelo ambiente da mineração. Por ser uma atividade realizada em locais remotos, de difícil acesso, o colapso de um veículo pode demandar muito tempo para a chegada de peças para substituição e de pessoal especializado.

De fato, as condições ambientais representam um dos maiores desafios para quem precisa realizar a gestão da frota. Isso porque as oficinas, mesmo que plenamente equipadas para receber os veículos, estão diretamente expostas à poeira, chuvas, lama e outras situações inerentes à atividade em espaços abertos. Esses fatores contribuem não só para o desgaste mais rápido de componentes, bem como representam um sério risco para os insumos industriais, em especial, os lubrificantes utilizados na manutenção dos veículos.

Os principais pontos de atenção na manutenção de frota

O processo primário, como pode ser chamada a etapa de extração do minério, exige atenção especial daqueles que gerenciam o plano de manutenção. Isso porque, além de todos os problemas que são evitados com o acompanhamento constante dos ativos, essa rotina também ajuda a reduzir muitos dos custos envolvidos na atividade.

A seguir, o especialista da PETRONAS pontua quais são os principais cuidados com a manutenção de frota. Acompanhe.

Motores

A operação sob condições severas, de altas cargas, exige que o lubrificante vá além da limpeza de peças móveis e também seja responsável pelo resfriamento do sistema. É preciso, também, que o fluido vede a passagem de gases da combustão, o que faz dele um grande aliado na tarefa de aumentar a vida útil do equipamento.

Indicação do especialista

“O PETRONAS Urania K 10W-40 já é um produto consagrado nesse segmento por conta dos bons resultados obtidos nos motores a diesel”, comenta o consultor técnico da PETRONAS. O produto mantém a faixa de viscosidade por mais tempo, o que possibilita um maior intervalo de troca. O lubrificante também está de acordo com as exigências das OEMs e tem a homologação dos mais rigorosos institutos de controle de qualidade. 

Caso de sucesso: Como uma mineradora do Vale do Jequitinhonha otimizou suas operações com PETRONAS Hydraulic

Em muitos casos, o fluido sintético pode substituir o mineral, largamente indicado para motores, e ainda obter melhores resultados. Entretanto, para que essa substituição seja viável e não cause problemas para o equipamento, o consultor técnico da PETRONAS ressalta a importância de um estudo técnico aprofundado, apoiado em testes que garantam a eficácia do produto.

Transmissão

Este sistema é de extrema importância para quem gerencia a manutenção de frota de uma mineradora. Isso se deve por dois motivos: o primeiro, financeiro; o segundo é que um problema na transmissão de um veículo pesado pode causar graves acidentes. 

É recomendado que o fluido seja aditivado com propriedades contra oxidação, corrosão e suporte a operação em altas temperaturas sem comprometer o desempenho. É indicado, também, que possua baixa viscosidade. 

Indicação do especialista

O PETRONAS Tutela Trans TO-4 foi desenvolvido especialmente para esse sistema, aumenta a capacidade de transporte de carga e oferece proteção contra o desgaste das engrenagens. A boa estabilidade térmica e oxidativa previne a formação de borra, o que prolonga a vida útil do óleo. De acordo com Eliezer, esse é um produto adequado para a manutenção de frota da mineração, uma vez que supera todas as particularidades do segmento.

Para a transmissão, é importante também que o lubrificante apresente boa fluidez em temperaturas baixas. Esse detalhe faz uma grande diferença, uma vez que assegura a facilidade do bombeamento do óleo por todos os componentes, mesmo em climas frios.

Rodas Motorizadas

“O sistema funciona, de forma simplificada, como se houvesse um motor elétrico em cada roda do caminhão. Por este motivo, é necessário um produto 100% sintético, específico para essa aplicação”, comenta Eliezer. Nas rodas motorizadas, as engrenagens são altamente exigidas, submetidas a pressão extrema. Não à toa, o micropitting é um problema comum nesses componentes.

A principal recomendação é observar atentamente o manual de instruções do equipamento. As engrenagens podem se diferir bastante em relação à aplicação e tempo de troca. A  fórmula dos lubrificantes para engrenagens industriais não é compatível com certos tipos de engrenagens hipoides com cargas pesadas e, por isso, é tão importante seguir as recomendações do fabricante.

Indicação do especialista

A linha PETRONAS Gear Syn PAO consiste em lubrificantes de desempenho premium, desenvolvidos especialmente para diversos tipos de engrenagens fechadas operando sob condições normais a serviços extremamente pesados. Sua fórmula inclui óleos básicos sintéticos com alto índice de viscosidade (PAO), enriquecidos com avançados aditivos inibidores de pressão extrema, antidesgaste, antioxidantes, antiferrugem e antiespuma.

A proteção contra baixas temperaturas também assegura um excelente desempenho em partidas a frio e o seu alto índice de viscosidade garante a proteção em uma ampla faixa de temperaturas. Agora que você já sabe como fazer a manutenção de frota da mineradora da forma correta, entre em contato e solicite um orçamento.

Você também vai gostar

2 Comentários

    1. Oi Marcel!

      Que bom ouvir isso!

      Obrigado pelo interese!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %