Manutenção Industrial

O papel e a importância da manutenção preditiva na indústria

Não tem mistério: a manutenção preditiva se baseia nas condições dos equipamentos. Funciona por meio da coleta e do envio de informações relacionadas a diversos fatores, como temperatura, análise de vibração e qualidade do óleo.

Um monitoramento constante desses dados permite detectar variações e corrigir problemas antes de ocorrerem danos maiores, o que aumentaria os custos da empresa.

A prática contribui para garantir a performance das máquinas e evitar paradas repentinas na produção, que poderiam prejudicar bastante a lucratividade do negócio. Quer entender melhor essas técnicas de manutenção? Então acompanhe!

Qual é a diferença entre manutenção preventiva e preditiva?

A manutenção preventiva tem como base a programação de intervenções de acordo com as orientações do fabricante. Muitas vezes, pode acabar levando ao desperdício de recursos financeiros, pois não considera as condições dos equipamentos. Sua prevenção alcança situações como corrosão, fadiga e outras maneiras de deterioração.

Ela é a manutenção que pretende dar mais luz para o problema. É como trocar o óleo do carro de 10 em 10 mil quilômetros. Você faz por quê?

Porque alguém, quando projetou a máquina, fez um estudo, simulou e chegou a um valor médio de tempo de desgaste do lubrificante dentro do motor. Na prática, porém, isso não é exatamente o que acontece em todos os casos.

A manutenção preditiva, por sua vez, auxilia a empresa a economizar recursos e garantir o funcionamento das máquinas com total desempenho. Ela tem como função realizar o monitoramento das condições dos equipamentos de acordo com a variação de temperatura, vibração, pressão e partículas de desgaste.

Com essa ajuda, a organização é capaz de prever o funcionamento adequado com as peças e os lubrificantes utilizados, otimizando assim a troca dos materiais de acordo com a identificação de ciclos para manter sua eficiência. Nesse cenário, quebras e paradas na linha de produção são evitadas.

Um exemplo desse tipo de manutenção é realizada na Fórmula 1, o topo do desenvolvimento tecnológico para automóveis. Os profissionais desse meio estão sempre buscando maneiras de otimizar o consumo de combustível, a eficiência do motor, o peso do carro e assim por diante. A partir de análises e previsões, eles conseguem saber o quanto de lubrificante o motor deve ter no começo da corrida para que, no fim, haja o mínimo aceitável de lubrificante para que o carro rode. Ao longo do percurso, naturalmente o carro vai queimando esse lubrificante e assim o veículo fica mais leve.

Essa manutenção não leva em consideração apenas as especificações do fabricante, mas todo o ambiente a que o equipamento é exposto. Em uma área de extremo calor, por exemplo, a manutenção será diferente da realizada em áreas frias e assim por diante.

Que parâmetros são captados pela manutenção preditiva?

Esse modelo é capaz de identificar muitos fenômenos que acometem as máquinas. Conheça agora mesmo as principais técnicas de manutenção!

Análise de vibrações

Equipamentos como motores estão sujeitos a vibrações, principais inimigas da indústria que necessita de precisão. Se uma empresa precisa produzir produtos com volume de 1 litro, por exemplo, o equipamento deve envasar a quantidade certa dentro do frasco. Caso contrário, enfrentará problemas até o fim do processo e durante a venda. As vibrações podem retirar essa capacidade da máquina, prejudicando a produção, o que pode gerar consequências inclusive jurídicas para o negócio.

A análise de vibração possibilita a identificação da precisão e do acoplamento correto dos equipamentos. Para tanto, ela se baseia na realização de uma ultrassonografia das peças para verificar irregularidades ou falhas nas superfícies.

Temperatura ou termografia

Nesse caso, a análise serve para detectar a radiação infravermelha emitida pelos equipamentos. Assim, é possível identificar pontos em que a temperatura não está dentro dos padrões para as máquinas. Alguns equipamentos conseguem traçar um mapa térmico e fazer um estudo de transferência de calor.

Gestão de Documentos na indústria 4.0

Fazer uso desse parâmetro é muito importante, pois a temperatura errada pode danificar inúmero componentes, como esteiras e motores. Também é fundamental realizar o acompanhamento correto e o uso de um lubrificante adequado para diminuir os riscos causados pela temperatura.

Variação de pressão

Geralmente, as indústrias usam energia a vapor produzida por caldeiras. Para garantir seu correto funcionamento, é essencial fazer um controle das válvulas de pressão, das tubulações e da pressão exercida na máquina. Um erro nesse acompanhamento pode provocar acidentes ou danificar os equipamentos, gerando prejuízos para a empresa.

Por esse motivo, é essencial ter o acompanhamento especializado das máquinas para realizar a manutenção preditiva dos equipamentos.

Desgaste ou contaminação

O lubrificante funciona como filtro, promovendo a limpeza das partículas de desgaste do equipamento. Em um motor, por exemplo, a partícula pode entupir uma válvula ou bomba e ocasionar a perda da máquina. Ao fazer a análise do lubrificante, portanto, é possível identificar e prever onde o desgaste está ocorrendo, a fim de evitar quebras, permitindo que o problema seja corrigido imediatamente.

O acompanhamento efetivo da linha de produção pode ser feito com o uso do sensoriamento remoto, que permite a aquisição de dados online e o acompanhamento 24 horas das máquinas — sem a necessidade de alocar funcionários só para essa análise. Os dados podem ser armazenados para serem analisados utilizando algoritmos e softwares inteligentes, a fim de otimizar a operação.

Quando aplicar a manutenção preditiva?

Ela deve ser feita de acordo com a análise dos equipamentos e do ambiente a que eles são expostos. Em alguns casos, os efeitos causados pela vibração no equipamento, por exemplo, podem ser mais expressivos que problemas de lubrificação. Por isso, para avaliar cada situação e parâmetro, a fim de executar a manutenção, é necessário fazer análises periódicas.

Equipamentos sujeitos à vibração, demandam de acompanhamento em curto espaço de tempo. Em contrapartida, as verificações sobre a lubrificação ou a temperatura podem ser feitas em um intervalo de tempo maior. O importante, nesses casos, é conhecer os equipamentos e os principais parâmetros que influenciam a operação.

A manutenção preditiva é baseada, portanto, em um conjunto de técnicas e avaliações de desempenho das peças. Para ficar mais claro, podemos dizer que a análise de um lubrificante é parecida com a realizada no sangue humano: o profissional deve procurar resíduos diversos para identificar o que está acontecendo dentro da máquina e, assim, perceber os desgastes.

Como fazer um plano de manutenção?

É preciso conhecer a máquina e os parâmetros que podem influenciar seu funcionamento. A partir disso, é possível definir quais análises devem ser feitas e quando exatamente realizá-las. Também é necessário considerar os perfis de funcionamento. Uma máquina que trabalha 24 horas por dia, por exemplo, deve ser avaliada com mais frequência que outra que funciona por apenas 12 horas.

Também é importante definir as métricas de produtividade e risco para o equipamento e a linha de produção como um todo. Com base nesses dados, a empresa poderá criar um plano de manutenção realmente eficiente.

Lembre-se de que a manutenção preditiva garante a eficiência dos equipamentos e contribui para reduzir os custos com a compra ou o conserto de máquinas. Então o que ainda está esperando para otimizar esse ponto?

Por fim, aproveite para entender como o gerenciamento de manutenção vai ajudá-lo a ter mais eficiência na empresa!

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %