Uma compreensão sobre a importância da gestão de fornecedores na indústria

7 minutos para ler

Uma boa gestão de fornecedores é fundamental para a performance operacional de qualquer negócio. Com uma cadeia de suprimentos eficiente, a empresa consegue vantagens estratégicas que afetarão sua capacidade produtiva, elevando a qualidade do que oferece, encurtando prazos e diminuindo custos, consequentemente aumentando a competitividade.

Além de construir um bom relacionamento, é importante avaliar os fornecedores com rigor, levando em conta a confiabilidade de cada um na hora de se planejar.

Nesse sentido, para conseguir os melhores resultados possíveis, é preciso ter processos cuidadosamente definidos para qualificar e homologar os fornecedores.

Neste post, vamos falar mais sobre a importância da gestão de fornecedores na indústria e aproveitar para dar dicas para você conseguir transformar os fornecedores da empresa em verdadeiros parceiros de negócio. Confira!

Qual a importância estratégica da gestão de fornecedores?

Os fornecedores de uma indústria são peças fundamentais para o sucesso de sua operação. A gestão de fornecedores entra aí para minimizar riscos e potencializar as oportunidades oferecidas pelo relacionamento entre essas 2 partes.

A capacidade produtiva de uma empresa depende da confiabilidade dos seus fornecedores. É preciso que eles cumpram prazos e padrões de qualidade exigidos pela linha produtiva, sem contar que seus produtos e serviços precisam caber no orçamento.

Cada fornecedor se encaixa de forma diferente no planejamento de produção de uma indústria. Alguns entregam itens essenciais e insubstituíveis, tornando-se extremamente importantes para a operação. Geralmente, esses fornecedores representam uma vantagem estratégica e competitiva.

Já outros podem não ser tão estratégicos, como o fornecedor de embalagens simples de papelão. Ainda assim, é preciso qualificá-los e gerenciá-los com atenção, a fim de evitar paradas críticas na linha de produção e demais problemas causados por falhas nas cadeias de suprimento.

Na gestão de fornecedores, todos são qualificados e avaliados de acordo com seu papel na operação. Sua importância estratégica será essencial para a condução do relacionamento ao longo dos anos.

Lembre-se de que, como os fornecedores são verdadeiros parceiros de negócios da indústria, é essencial gerenciar bem essa relação.

O que levar em conta na hora de qualificar fornecedores?

Para qualificar bem os fornecedores de uma indústria e saber quais são as melhores opções de parceria, é importante avaliar 6 pontos principais: localização, preço, capacidade produtiva, confiabilidade, habilidade técnica e relacionamento pós-venda. Vale a pena entender melhor a importância de cada um desses fatores. Veja!

Localização

A localização é um elemento decisivo na avaliação de um fornecedor. Afinal, a distância e a logística envolvidas definem o tempo de abastecimento e a necessidade de estoque de determinado produto.

Se um fornecedor está próximo da indústria, é possível reduzir o patrimônio imobilizado com um estoque mais enxuto e uma frequência de entregas maior. Por outro lado, distâncias maiores demandam estoques robustos e gastos extras com armazenamento.

Além disso, a proximidade proporciona mais tranquilidade para a operação, já que é possível, em qualquer emergência, se reabastecer com mais velocidade. Lembrando, por fim, que fornecedores em outros estados e países significam custos maiores com impostos de importação.

Preço

Uma boa política de preço é aquela que satisfaz ambas as partes envolvidas. Tudo bem ser natural que, em uma relação comercial, os 2 lados tentem forçar as margens ao máximo em busca de mais lucro.

No entanto, para um relacionamento saudável e de confiança, é preciso que o valor negociado supra as expectativas de todos.

E, ao contrário do que muita gente pode pensar, o preço não é o fator mais decisivo na hora de definir um fornecedor. Na prática, outros elementos listados neste tópico podem pesar muito mais nessa escolha, já que o custo total de compra envolve muito mais fatores que o valor pago diretamente pelo produto.

Capacidade produtiva

É fundamental que um fornecedor tenha aderência com as demandas da indústria. Isso precisa ser avaliado na hora de qualificar potenciais parceiros.

Para se certificar que um fornecedor conseguirá entregar o que é exigido, é necessário conhecer sua capacidade produtiva e ter provas de que ele pode realmente cumprir com o combinado.

Para tanto, é muito importante visitar e conhecer as operações de cada fornecedor na cadeia de suprimentos. Afinal, um só gargalo pode significar parada na produção da indústria, o que gera prejuízos e oportunidades perdidas.

Além disso, em negócios que lidam com picos de sazonalidade, é preciso também saber se o fornecedor será capaz de atender a essa demanda ampliada.

Confiabilidade

A confiabilidade é essencial para a sustentabilidade e a continuidade dos negócios, estabelecendo o elo que garante que o fornecedor atenderá o planejamento.

E é preciso garantir a confiabilidade do fornecedor não só do ponto de vista operacional, mas também dos pontos de vista fiscal, trabalhista, ambiental e financeiro.

Pense bem: um fornecedor que atrasa salários trabalha com funcionários insatisfeitos, o que pode gerar reflexos nos resultados de quem compra com ele.

O mesmo vale para impostos e normas regulamentadoras, sendo preciso se certificar de que o fornecedor está cumprindo com todas as atividades legais.

Habilidade técnica

A habilidade técnica é outro critério decisivo para a qualificação de um fornecedor. É simples: ele precisa ser capaz de entregar os insumos pedidos com o máximo de qualidade possível.

Para isso, não basta ser experiente e habilidoso na área. Também é preciso que conheça a fundo o produto final, sua aplicação e eficácia. Dessa forma, poderá desenvolver sua parte, cumprindo todas as exigências requeridas pela indústria.

Para avaliar a habilidade técnica dos fornecedores, é importante visitar vários potenciais parceiros para fazer comparações detalhadas, além de contar com a ajuda de especialistas na área, com sua visão única sobre os processos em si e o mercado como um todo.

Atendimento pós-venda

É nesse ponto que muitas empresas falham, normalmente por acharem que a relação termina quando o produto é entregue ou o serviço é feito.

Nada disso! E quando a indústria assume o papel de cliente, é fundamental que ela busque por parceiros que tenham excelência no pós-vendas.

O que você tem que entender é que um relacionamento pós-vendas ruim significa falta de suporte nos momentos em que esse apoio é mais importante. É preciso, portanto, avaliar esse quesito com bastante atenção.

Por que criar um bom relacionamento com fornecedores?

Um bom relacionamento com fornecedores pode ser refletido em diversos aspectos, todos positivos. Estamos falando, por exemplo, de custos justos, trocas de experiência e suporte em momentos de dificuldade.

Quando existe uma relação de confiança entre ambos, é possível até negociar formas de pagamento e amenizar reajustes. Além disso, um bom relacionamento significa que esse fornecedor será mais solícito caso seja necessário, por exemplo, atender a uma demanda sazonal.

Por fim, é importante ressaltar que, quando existe proximidade, as 2 empresas podem trocar experiências e aprender com os processos compartilhados entre elas, formando assim um ecossistema saudável e produtivo.

E agora que você já sabe mais sobre a gestão de fornecedores e sua importância para a indústria, que tal aproveitar para aprender 7 formas de conseguir os melhores acordos em negociações B2B?

Posts relacionados

Deixe um comentário