Lubrificação

Principais dúvidas sobre fluidos hidráulicos que você não tinha a quem perguntar

Funcionando como lubrificante, meio de transferência de calor, transmissor de energia e vedador, o fluido hidráulico é um elemento importantíssimo. E como os equipamentos hidráulicos são comuns nas mais diversas áreas, é normal que surjam dúvidas variadas sobre a utilização desses fluidos.

Elaboramos este post para explicar a importância do uso adequado desse material, falar sobre os riscos da má aplicação e responder aos principais questionamentos referentes aos fluidos hidráulicos. Acompanhe!

Qual a importância do fluido hidráulico para os equipamentos industriais?

Os fluidos hidráulicos desempenham diversas funções em equipamentos industriais, incluindo:

  • a transmissão de força para um atuador hidráulico;
  • a retirada de calor dos componentes;
  • a lubrificação dos componentes na linha, como válvulas e atuadores.

Além disso, lubrifica os componentes da bomba hidráulica. Tanto que grande parte das especificações do óleo é dada justamente pelo fabricante da bomba.

Como as especificações fornecidas pelo fabricante da bomba influenciam na escolha do fluido?

No manual de operação da bomba hidráulica, cada fabricante indicará uma norma própria ou alguma norma conceituada no mercado — como a DIN, muito usada para esse tipo de aplicação. Elas se diferenciam de acordo com o desempenho observado. Para o sistema hidráulico, geralmente as normas são sequenciais.

Por mais que existam exceções, em geral, o desempenho é progressivo. Há, por exemplo, a DIN parte 2, 51.524, que estabelecerá níveis de desempenho em ponto de fluidez, teste de corrosão, espuma, estabilidade térmica, desgaste da bomba, entre outros critérios.

Vale destacar que uma norma específica de um fabricante também supre as necessidades da DIN. Aliás, pode até ir além ao pedir alguns pontos mais rígidos. A mais conceituada do mercado é a da Bosch, que tem testes mais rigorosos em todos os aspectos.

Glossário de Lubrificação

O que observar e que erros evitar na seleção dos fluidos hidráulicos?

O principal erro aqui é que, assim como acontece com todo produto, as pessoas muitas vezes são guiadas exclusivamente pelo preço. Como não existe um conhecimento grande sobre especificações, alguns clientes acreditam que um fluido qualquer pode ser aplicado em equipamentos que demandam critérios mais específicos.

Exemplificando melhor como funciona na prática, vamos usar novamente o exemplo da DIN, que tem as partes 1, 2 e 3.

Nesse caso, se o fluido atende à parte 3, pode ser aplicado em qualquer equipamento que demanda as partes 1 e 2. Atendendo à parte 2, por sua vez, pode ser aplicado em qualquer equipamento que requer as partes 1 e 2. Já se atende à parte 1, só pode ser aplicado em equipamentos que pedem a parte 1.

No dia a dia, é comum clientes quererem comprar fluidos que só atendem à parte 1, o que significa que são produtos mais baratos, mas utilizá-los em uma aplicação que na verdade pede a parte 2 ou a parte 3. Muitas vezes, simplesmente falta atenção à especificação.

O problema é que essa falha pode causar várias consequências negativas, como a cavitação.

Quais são os riscos da falta de fluido ou de uma aplicação inadequada?

A falta de fluido hidráulico pode fazer com que o sistema perca eficiência, até inviabilizando o funcionamento do equipamento. Um fluido mal selecionado pode causar fenômenos destrutivos ao equipamento, como a cavitação da bomba.

Em qual pressão de trabalho e temperatura o fluido hidráulico pode trabalhar?

A pressão de trabalho do fluido depende da especificação na qual ele é homologado, uma vez que cada fabricante de equipamentos ou bombas hidráulicas define parâmetros a serem atendidos pelo fluido para que as máquinas possam funcionar corretamente.

Por sua vez, a temperatura de trabalho do fluido não é definida pelo fabricante do material. No geral, ao indicar um óleo hidráulico para alguma aplicação, já foram considerados alguns aspectos como:

  • as folgas existentes nos componentes da bomba;
  • a pressão em que é ideal trabalhar;
  • a rotação em que a bomba deverá trabalhar.

A partir daí, o próprio fabricante define a viscosidade (ou faixa de viscosidade) adequada para a aplicação.

Os fluidos hidráulicos por acaso podem ser misturados?

A mistura de nenhum tipo de lubrificante costuma ser recomendada. Contudo, quando os volumes nos reservatórios de lubrificantes são muito elevados, é possível realizar testes de compatibilidade que mostrarão se um fluido reage negativamente com o outro.

É importante frisar que não há como garantir o desempenho de uma mistura de óleos hidráulicos.

Qual a diferença entre um fluido hidráulico comum e um de alto índice de viscosidade (HV)?

Como o próprio nome já sugere, a principal diferença está no índice de viscosidade do produto.

Essa característica determina o comportamento da viscosidade do óleo quando existe mudança de temperatura — a viscosidade diminui com o aumento da temperatura e vice-versa. Os fluidos que têm elevado índice de viscosidade sofrem menor variação.

É possível afirmar que o alto índice de viscosidade está relacionado à qualidade do óleo?

Na verdade, o termo certo não seria qualidade. Existem óleos adequados para aplicação ou não. Quando se usa um óleo de alta viscosidade, é porque a operação sofre variação de temperatura muito grande ou não existe um controle ideal da temperatura de aplicação daquele fluido.

Investir em um óleo com a viscosidade ideal significa, portanto, apostar em um produto adequado para a aplicação, de acordo com o nível de variação na temperatura do local.

Os óleos hidráulicos têm aditivação para extrema pressão?

Em geral, não. Óleos hidráulicos normalmente apresentam aditivação antidesgaste, antiespuma e anticorrosão. Contudo, alguns produtos multifuncionais podem sim ter aditivação de extrema pressão.

Normalmente, a aditivação é de antidesgaste, que tem função muito parecida com a aditivação de extrema pressão.

Quais as diferenças entre as especificações de fabricantes de equipamento?

Cada fabricante de equipamento ou bomba hidráulica seleciona níveis de desempenho e componentes químicos que o lubrificante deverá ter para a aplicação desejada. Atualmente, a PETRONAS tem o PETRONAS Hydraulic PLUS, homologado na norma mais exigente do mercado.

Entender um pouco mais sobre o fluido hidráulico ajuda a fazer melhores escolhas, de acordo com as especificações de cada equipamento e até mesmo com as características da operação na empresa. Assim, alia-se preço a qualidade, tomando uma decisão que envolve o melhor custo-benefício.

Guia: Melhores práticas da compra de lubrificantes

Gostou deste conteúdo e quer acompanhar outros assuntos técnicos igualmente bem explicados? Então assine a nossa newsletter e fique sempre por dentro das publicações que postamos aqui no blog!

Você também vai gostar

7 Comentários

  1. Gostei da vossa explicação técnica. Peço-vos pra me porem sempre actualizado com as vossas edições.
    Forte abraço a toda vossa equipe

    1. Olá,

      Para continuar recebendo os nosso conteúdos, inscreva-se na nossa newsletter!

      Obrigada pelo interesse!

  2. Quais são os principais fluidos Hidráulicos maisusados

  3. O que acontece quando o óleo hidráulico é aquecido?

    1. Olá Éderson, tudo bem?

      Primeiramente, obrigado pelo seu interesse em nosso blog.

      Consultamos alguns técnicos para responder sua pergunta, eles falaram o seguinte:

      Temos duas consequências do aquecimento do fluido hidráulico:

      1º Efeito – Diminuição da viscosidade

      Velocidade -Imediatamente ao mudar a temperatura

      Reversibilidade – Reversível, ao diminuir a temperatura, a viscosidade aumenta

      Solução – Quando ocorrem variações de temperatura constantes na aplicação, devemos utilizar fluidos com alto valor de índice de viscosidade, pois isto diminui a variação da viscosidade quando há variação de temperatura.

      2º Efeito – Aceleração da oxidação

      Velocidade – Será perceptível a médio / longo prazo

      Reversibilidade – Irreversível, uma vez oxidado o fluido, haverá aumento da acidez e da viscosidade que não retornam aos valores anteriores

      Solução – Utilização de óleos básicos com maior resistência natural a oxidação e aditivos antioxidantes específicos e balanceados a formulação do fluido que irão aumentar a vida útil.

      Espero que tenhamos sanado sua dúvida.

      Continue acompanhando as novidades no blog Inovação industrial.

  4. Bom dia.Conteudo de excelente qualidade e fácil entendimento!!

    1. Obrigado pelo feedback Romeu!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %