Manutenção Industrial

Manutenção de compressores: 7 dicas para prolongar a vida útil do seu equipamento

A manutenção de compressores, assim como ocorre com qualquer equipamento industrial, é essencial para evitar falhas que podem resultar em problemas para a produção ou para a segurança de quem opera (ou está próximo) a máquina.

Para isso, é preciso seguir a recomendação do fabricante no manual e acompanhar as condições do uso e o desempenho, que podem variar entre as empresas e demandar rotinas de cuidados diferentes.

Neste post, vamos explicar melhor como ela funciona, os principais desafios, quais aspectos considerar para garantir uma manutenção eficaz, entre outras informações relevantes. Quer entender melhor do assunto e garantir a eficiência na sua empresa? Então, confira agora mesmo!

Entenda como funciona a manutenção em compressores

Existem, basicamente, dois tipos de compressores:

  1. os volumétricos, que aumentam a pressão em que o ar está sujeito por meio da redução do volume;
  2. os dinâmicos, que aumentam a velocidade do ar (ou gás).

Como todos os outros equipamentos utilizados em uma indústria, é necessário adotar um plano de manutenção, que pode ser estabelecido com base no manual de operação e serviço do ativo.

Geralmente, as paradas ocorrem de acordo com as horas trabalhadas pelo compressor, sendo que cada tipo de manutenção deve ter um intervalo bem definido, respeitando a orientação do fabricante.

Entre os principais tipos de trabalhos realizados, estão:

  • a troca do filtro de ar;
  • a substituição do lubrificante;
  • a substituição de mangueiras e engates;
  • a purga de água da linha.

O principal objetivo da manutenção de compressores é prolongar a vida útil da máquina, garantir um bom funcionamento e ainda otimizar os custos operacionais — visto que os reparos preventivos evitam (ou minimizam) as consequências de uma falha, o que acarreta gastos maiores.

Assim,  confira 7 dicas de atividades recomendadas para prolongar a vida útil do equipamento:

  1. verificação periódica do nível de óleo e lubrificação e as devidas trocas com base na recomendação do fabricante ou nas condições de trabalho da máquina (o que demanda a redução do intervalo caso elas sejam mais severas, por exemplo);
  2. limpeza periódica (que pode ser feita semanalmente) do compressor, a fim de evitar acúmulo de resíduos —o que afeta o funcionamento da máquina;
  3. verificação da tensão das correias, que, caso esteja inadequada, também afeta o trabalho do equipamento;
  4. verificação de possíveis vazamentos (o que pode gerar dispersão do ar);
  5. testes de funcionamento das válvulas de segurança;
  6. verificação das serpentinas resfriadoras (para evitar que elas soltem ou sejam rompidas como consequência da vibração);
  7. remoção e limpeza do filtro de admissão (a periodicidade depende das condições do ambiente no qual o equipamento opera.

Os principais desafios para a manutenção de compressores

Devido à grande importância que os compressores têm dentro de uma planta industrial — visto que eles são responsáveis, normalmente, pela maior parte das operações —, eles demandam uma manutenção extremamente bem programada e executada. O foco é conseguir realizar os reparos e melhorias impactando o mínimo possível na produtividade da fábrica.

Além disso, também é necessário contar com os componentes e lubrificantes adequados para tal aplicação. Isso é crucial para que o equipamento alcance o funcionamento adequado, reduzindo ao máximo a possibilidade de quebras ou problemas futuros.

Conseguir superar esses desafios é crucial para garantir a eficiência e um bom desempenho desses equipamentos, ao mesmo tempo em que a fábrica mantém suas operações no nível desejado.

O que é preciso considerar para uma manutenção efetiva

A principal recomendação — tanto para compressores quanto para qualquer outro tipo de equipamento mecânico — é a de sempre seguir as orientações do fabricante. No manual, é indicada a periodicidade adequada das manutenções e onde elas devem ser realizadas.

Os principais parâmetros que devem ser observados na manutenção de compressores são as especificações técnicas do lubrificantes e dos componentes a serem substituídos. O objetivo é fazer com que a operação ocorra sem contratempos.

Além disso, as inspeções periódicas também devem seguir rigorosamente as orientações do fornecedor, já que todos os componentes foram escolhidos e desenvolvidos para alcançarem o melhor desempenho possível dentro das condições predeterminadas. Entre as atividades ligadas a essas verificações, estão as:

  • do nível de óleo;
  • da saturação de filtro de ar (atividade de suma importância, já que o filtro entupido dificulta a refrigeração do óleo, aumentando a temperatura e a oxidação do mesmo, diminuindo a vida útil);
  • da temperatura de descarga do compressor;
  • da rotação e pressão de ar na linha.

Outro ponto que é necessário observar para uma rotina adequada é característica da operação. Se as condições de trabalho são mais severas que as especificadas pelo fornecedor, por exemplo, pode ser que a manutenção tenha que ser realizada com uma frequência maior do que a estabelecida.

Dessa forma, consegue-se estabelecer um cuidado ainda maior com esses equipamentos. Os riscos de surgirem falhas (e outros tipos de problemas) na operação acabam sendo consideravelmente menores.

Conheça os tipos de lubrificantes mais indicados

Existem, atualmente, lubrificantes de base mineral e base sintética. Cada compressor de ar pode demandar um tipo diferente de produto, com base na recomendação do fabricante. Entretanto, o mesmo compressor pode utilizar lubrificantes de bases diferentes para obter melhor desempenho, ou mesmo estender o período de troca — de acordo com a necessidade da empresa.

Há lubrificantes de base mineral para 2.000h e 4.000h de vida útil e também os de base sintética que podem chegar a até 12.000 horas de vida útil em serviço com excelente resistência à formação de verniz e depósitos.

Ainda assim, vale lembrar que o fator mais importante na seleção e utilização na manutenção do compressor é a viscosidade apropriada, recomendada pelo fabricante.

Definir um planejamento e uma rotina adequada para a manutenção de compressores é um ponto essencial para que a fábrica se mantenha eficiente, com as operações funcionando adequadamente e garantindo a segurança dos colaboradores.

Por se tratar de um equipamento fundamental para o funcionamento da planta, é necessário organizar a rotina de reparos e melhorias de forma que elas não causem grande impacto na produtividade.

Gostou do artigo e quer continuar acompanhando os conteúdos que postamos regularmente aqui no blog? Então, siga o nosso perfil no Instagram e não perca as novidades!

Você também vai gostar

2 Comentários

  1. Gostaria de receber por e-mail outras informações ZX de ou professor na área de mecânica marítima e fui professor da escola técnica do Arsenal de Marinha

    1. Olá,

      Para continuar recebendo os nosso conteúdos, inscreva-se na nossa newsletter!

      Obrigada pelo interesse! 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %