manutencao-de-maquinas-industriais manutencao-de-maquinas-industriais

Manutenção de máquinas industriais: como definir o intervalo de troca do lubrificante?

6 minutos para ler

A má lubrificação de máquinas industriais pode levar a consequências desastrosas. No pior dos cenários, pode até parar uma produção e impactar todo o faturamento da empresa.

E mesmo quando o resultado não chega a ser tão assustador assim, a má lubrificação pode causar prejuízos em grande escala: perda da produtividade, quebra de um equipamento e aumento de custo com reparos.

Além disso, pode haver uma variabilidade maior no processo produtivo. Se um compressor começa a falhar, a temperatura de descarga pode ficar mais elevada e isso pode acabar danificando o maquinário.

Muitas indústrias mantém backups de compressores (com dois em funcionamento e um de step), para manter a produção rodando mesmo em caso de problemas técnicos. E mesmo assim, enfrentam prejuízos, já que o custo da manutenção corretiva é muito mais elevado do que a manutenção preventiva ou preditiva.

Para evitar gastos tão altos e situações que prejudicam toda a indústria, o cuidado com a manutenção e o intervalo de troca dos lubrificantes é fundamental. Entenda mais a seguir.

Como saber que o lubrificante precisa ser trocado na manutenção de máquinas industriais?

Apesar de existir o estabelecimento de um período médio para a troca do óleo lubrificante na manutenção de máquinas industriais, esse prazo nunca pode ser considerado em absoluto. Por isso, é preciso levar em conta alguns passos para identificar os sinais de que está na hora da substituição do fluido.

O primeiro passo é verificar o que exatamente o fabricante do equipamento a ser lubrificado indica. No manual de todo equipamento constam os períodos médios de trocas.

Numa manutenção preventiva dos equipamentos, esses períodos não devem ser ultrapassados em hipótese alguma, sob o risco de danificar o maquinário. Ainda assim, o uso do equipamento deve ser acompanhado, pois ele pode estar sendo mais exigido que a média.

Manutenção preventiva

A manutenção preventiva seria a manutenção periódica. Os fabricantes do equipamento (não do lubrificante) fazem uma média de intervalo para que cada um saiba de quanto em quanto tempo trocar. No entanto, para ter ganho, vale a pena fazer a manutenção preditiva para saber se pode ir além daquele intervalo.

Uma alternativa que exige critério e muito cuidado para a avaliação é o coeficiente de segurança. Há compressores que são mais utilizados em umas empresas que outras. Tudo é levado em consideração nessa avaliação. Às vezes, um mesmo equipamento de um mesmo fabricante pode ter regime de trabalhos diferentes.

Manutenção preditiva

Quando o industrial busca algo de topo e além do trivial, ele pode se apoiar na manutenção preditiva. Esta vai estabelecer uma visão de curto e médio prazo sobre o equipamento. Para que ela seja feita, é necessário fazer análises termográficas, análises vibracionais e análises de lubrificantes.

Se um determinado comportamento de vibração for identificado, por exemplo, o industrial já sabe que aquele componente vai quebrar em determinado tempo se não trocar o lubrificante antes disso. Então ele sabe exatamente o prazo que tem para agir.

Ao contrário do que muitos pensam, a análise de cor do lubrificante é muito pouco indicativa, e não existe uma correlação direta entre o desempenho e a cor do fluido. Logo, essa não é uma análise confiável.

Outro ponto que deve ser checado é a deterioração do lubrificante e a contaminação (por água, poeira, por lubrificantes de outras características) no fluido. Isso tudo pode ser visto na análise preditiva.

Há empresas que propõem um serviço próximo ao cliente de acompanhamento quanto a periodicidade de troca de lubrificante. Isso permite que a indústria consiga otimizar a capacidade de sua máquina e também a extensão do prazo de substituição do fluido.

Como escolher o lubrificante ideal para a manutenção?

Além de seguir as recomendações dos equipamentos, é importante estar atento às novas tecnologias. Com as inovações de mercado e o desenvolvimento do segmento, novas possibilidades se abrem e um lubrificante que funcionava bem em um tipo de processo, passa a ficar obsoleto.

Portanto, além de buscar o lubrificante compatível para o seu equipamento, é recomendável trabalhar com empresas e fornecedores de alta de controle de qualidade de insumos. Essa última, influencia em algumas questões que nem sempre estão ligadas ao lubrificante.

Manter um parceiro de negócios forte é desejável para poder contar com a entrega e cumprimento técnico, além da resolução de problemas no meio do processo, tendo um serviço de logística pontual e, claro, o produto de qualidade.

Qual o principal erro na hora de escolher um lubrificante?

Não há dúvida de que o principal engano que o industrial comete na hora de adquirir produtos lubrificantes é optar pelo mais barato. O foco no menor preço pode custar muito caro posteriormente, pois nem sempre a solução encontrada representa a melhor equação entre custo e benefício.

É comum que se pense muito no custo de aquisição, mas nessas horas falta uma avaliação do custo de operação para cada caso. Como já foi demonstrado aqui, a manutenção corretiva gera um dispêndio financeiro muito maior que as manutenções preventivas ou preditivas. Outros custos periféricos e uma necessidade constante de troca de fluidos também pode gerar um maior custo para a companhia.

Há ainda um grande erro que, por vezes, traz muitos desafios para a indústria: trata-se da falta de informação quanto ao uso do lubrificante adequado para cada máquina.

É necessário estar atento às especificações dos equipamentos, para não correr o risco de danificar o maquinário, fazendo uso de fluidos de características inferiores ao que é especificado.

O erro na hora de escolher e de estabelecer os períodos de troca dos lubrificantes pode representar um prejuízo que ultrapassa a companhia. O desgaste do maquinário provoca mais descarte ainda, o que compromete também o meio ambiente, ponto crítico de discussão sobre a indústria moderna.

O trabalho de manutenção industrial é um trabalho muito técnico e que exige um esforço contínuo e acompanhamento de perto. Por isso, grande parte das indústrias possuem uma equipe especializada e dedicada a esse assunto.

Caso queira conhecer e se aprofundar mais sobre a manutenção de máquinas industriais, além de conhecer os demais textos sobre lubrificantes especiais que o Inovação Industrial produziu sobre o assunto, aproveite para baixar o nosso e-book sobre Manutenção Industrial.

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário