teste de campo teste de campo

Teste de campo: como a PETRONAS garante a qualidade das matérias-primas empregadas no seu produto final

6 minutos para ler

A qualidade das matérias-primas empregadas na formulação de um lubrificante é fator decisivo para a eficiência do produto final. Para verificar se as características físico-químicas estão de acordo com as exigências do mercado, a PETRONAS realiza um rigoroso teste de campo.

Cada tipo de matéria-prima demanda análises diferentes, que são feitas regularmente no laboratório da empresa. Esse trabalho é importante para garantir que os clientes sempre tenham um produto de alto nível em mãos.

Justamente para falar sobre esse processo, recorremos a Eron de Castro, Product Analyst da PETRONAS. O resultado dessa conversa você confere agora!

Por que é preciso testar as matérias-primas?

O objetivo do teste com a matéria-prima é garantir o padrão de qualidade do produto final. Afinal, só é possível formular um lubrificante de alto nível com insumos que estejam de acordo com as especificações previstas.

Para isso, é realizada uma bateria de testes, que começa com a homologação dos fornecedores.

Entramos em contato com os fornecedores, fazemos uma avaliação, as amostras são aprovadas e geram registros de qualidade técnica. A partir daí, vamos comprar matéria-prima, analisando para ver se está tudo de acordo com a especificação. Feito isso, fazemos o produto final e vamos acompanhar em campo”, detalha Eron.

Na PETRONAS, todos os fornecedores precisam ser aprovados antes de terem seus produtos aceitos. Essa homologação faz com que a não conformidade de matéria-prima seja muito baixa, já que a confiabilidade dos parceiros é alta.

As principais matérias-primas são os óleos básicos, que representam um percentual bem significativo do lubrificante em si. Além disso, também existem os aditivos para lubrificantes, como o melhorador de índice de viscosidade, aditivos antidesgaste, aditivos de performance, aditivos antiespumante, inibidores de corrosão e outros.

Os parâmetros avaliados seguem as exigências especificadas para cada produto. É isso mesmo: cada material tem suas características, como faixas de viscosidade determinadas por órgãos que controlam essa especificação.

É preciso ter sempre em mente que, se a matéria-prima está comprometida, o produto final também estará. Isso significa que o lubrificante que em tese deveria ajudar na manutenção de equipamentos pode, ao contrário, tornar-se a causa de falhas e defeitos técnicos.

Além disso, ainda existe o risco de que uma matéria-prima de qualidade inferior contamine outra que está em plenas condições de uso. Por isso, a análise deve ser sempre feita o mais cedo possível para que o insumo possa ser disponibilizado para a operação.

Como esse teste de campo é feito?

O tipo de teste realizado varia muito de acordo com a matéria-prima que será verificada e qual será sua aplicação final. Como dissemos, cada produto tem sua especificação. Na PETRONAS, por exemplo, são feitas mais de 100 análises, mas nem todas realizadas em todos os produtos. Cada matéria-prima é avaliada de maneira diferente.

Quando falamos em produto final, há um leque: lubrificante industrial, lubrificante automotivo, graxas, fluidos para refrigeração e outros. Há uma enorme cadeia. E cada cadeia terá análises pertinentes para aquela aplicação”, afirma Eron.

Os tipos de testes realizados variam de acordo com as matérias-primas, as aplicações do produto final e as normas de mercado. Essas especificações são decisivas para quem usa os lubrificantes.

Falando de lubrificante automotivo, por exemplo, existe cor, aspecto, densidade, viscosidade… A partir desses principais, que serão feitos em quase todos os produtos, você começa a avaliar famílias. Você começa a especificar. Há o ponto de fulgor, quando os fatores começarão a inflamar, e há o ponto de fluidez, que é a temperatura em que ele congelará”, exemplifica.

Na PETRONAS, os testes são feitos por uma equipe de qualidade que trabalha 24 horas por dia, dividida em 3 turnos. O laboratório da empresa é credenciado pela norma ISO 17025, que certifica o comprometimento com a norma destinada para avaliação. Lembrando que, no setor de lubrificantes, a PETRONAS é a única do Brasil com essa certificação.

Além da ISO 17025, a PETRONAS também conta com 25 testes que são homologados pelo INMETRO. E os produtos são avaliados de acordo com especificações nacionais definidas pelas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e internacionais, regidas pela American Society for Testing and Materials (ASTM).

Por que a qualidade é garantida?

Por focar muito na qualidade dos seus produtos, a PETRONAS já começa os testes laboratoriais na fase de aquisição da matéria-prima. Quando um novo lote de insumos chega à empresa, portanto, já chega com o laudo do fornecedor, que é homologado.

Ainda assim, são realizados testes para avaliar as características fundamentais do produto. Tudo é verificado e registrado para garantir a rastreabilidade do produto final.

No dia a dia é simples: a matéria-prima chega, avaliamos e aprovamos ou não, baseados em uma lista de especificações. Quando compramos, ela vai para o estoque. Nós temos compras mensais para não perder a validade”, relata Eron.

Além de testar a matéria-prima, a PETRONAS também conta com diversos procedimentos de qualidade ao longo do processo de fabricação dos seus produtos. Como os lubrificantes são muito importantes para a operação de seus clientes, a preocupação com sua conformidade é alta.

E os testes não param quando o produto chega até o consumidor! Além de disponibilizar um serviço de assistência técnica completa, a PETRONAS também colhe amostras dos produtos que estão em uso para avaliar se eles apresentam performance adequada. Isso envolve enviar técnicos para conferir o lubrificante nos equipamentos dos clientes.

Vamos ao mercado e recolhemos amostras. Com empresas de ônibus, por exemplo, recolhemos as amostras, enviamos para o laboratório e avaliamos. Analisamos se está tudo certo ou se é preciso fazer uma troca. É um acompanhamento do produto”, destaca Eron.

Por essas e outras, a confiança dos produtos da PETRONAS é garantida. São muitos processos de qualidade e testes para que os lubrificantes cheguem aos consumidores sem nenhum tipo de falha em sua formulação. Sem falar que, mesmo depois da compra, o produto continua a ser testado e avaliado.

Agora que você já sabe como a PETRONAS assegura a qualidade dos seus produtos com um teste de campo rigoroso, aproveite para entrar em contato e tirar suas dúvidas sobre o assunto!

Posts relacionados

Deixe um comentário