Mercado B2B

OEE: o que é essa métrica e quem deve acompanhar seus resultados?

São diversos os indicadores usados para acompanhar o desempenho de processos, de pessoas ou até mesmo das máquinas. Pois sabia que também é possível monitorar o desempenho da fábrica, de modo geral?

Nesse caso, temos o Overall Equipment Efficiency (OEE). Já ouviu falar sobre ele? Sabe o que é e para que serve?

A ideia deste post é justamente explicar esse KPI. Nos próximos tópicos, mostraremos todos os aspectos relacionados a ele, explicando inclusive como ele pode ajudar na tomada de decisão estratégica para a fábrica. Continue acompanhando para saber mais sobre o assunto!

O que é o Overall Equipment Efficiency?

O Overall Equipment Efficiency (OEE) é um indicador usado para identificar a eficiência global, muito acompanhado dentro de programas de Total Productive Maintenance (TPM). O principal objetivo é responder a 3 perguntas:

  1. com que frequência as máquinas e equipamentos ficam disponíveis para a operação;
  2. qual a frequência de produção;
  3. dentro do total de itens produzidos, quantos não geraram refugo.

Para calcular o índice de OEE, é necessário considerar 3 variáveis:

  1. performance;
  2. qualidade;
  3. disponibilidade.

Em um cenário ideal, as organizações deveriam contar com 100% de aproveitamento do tempo, 100% de qualidade e 100% dos recursos disponíveis. Como isso é bem difícil de acontecer na prática, surgiu a necessidade de monitorar o índice de eficiência.

Assim, os gestores conseguem saber com muito mais precisão o que exatamente pode ser feito para aprimorar cada uma dessas 3 variáveis.

Como e onde ele pode ser aplicado?

Quando o objetivo é mensurar o nível de eficiência global com base nas 3 variáveis já citadas, o OEE pode ser aplicado em qualquer chão de fábrica. Então vamos conhecer melhor essas variáveis?

Performance

Uma linha de produção tem uma capacidade máxima, que está intimamente ligada ao tempo no qual os itens são produzidos. Esse índice mostra qual é a porcentagem da velocidade do trabalho dos operadores em relação à velocidade de produção de uma máquina. Entre os fatores que mais influenciam essa variável estão:

  • ineficiência dos operadores;
  • falta de treinamento para os profissionais;
  • materiais fora da especificação ideal.

Para se chegar ao índice de produtividade, é só aplicar a seguinte fórmula:

(ciclo de produção real × horas de produção reais) / (ciclo de produção estimado × hora de produção planejadas) × 100%.

Qualidade

Quando falamos em qualidade, estamos falando basicamente da produção de materiais que apresentam as características de acordo com os padrões estabelecidos pela empresa. Quando o produto não alcança o nível esperado, é classificado como refugo ou perda.

Para calcular a quantidade de itens produzidos dentro da especificação, usa-se a seguinte fórmula:

(produção correta / produção total) × 100%.

Disponibilidade

Essa variável está ligada a situações que provocam parada de linha, afetando assim a disponibilidade dos equipamentos. Elas podem estar relacionadas a:

  • falta de materiais;
  • quebra do equipamento;
  • tempo de setup da máquina.

Essas ocorrências não planejadas costumam ser chamadas de downtime, enquanto o tempo que sobra para a realização de paradas programadas e para a produção é o chamado tempo operacional. E vale lembrar que, no indicador de performance, não são consideradas as paradas planejadas, como é o caso das manutenções preventivas.

A fórmula para calcular essa métrica é:

(tempo produzindo / tempo disponível) × 100%.

Como exatamente calcular o OEE?

Agora, com as 3 métricas calculadas, é possível encontrar o OEE para as máquinas. Isso pode ser feito multiplicando as 3, através da seguinte fórmula:

performance x qualidade x disponibilidade.

A lógica é simples: quanto mais próximo de 100% for esse resultado, melhor será o indicador. É importante ressaltar, porém, que o valor ideal para o OEE varia de acordo com cada empresa e com as particularidades do processo produtivo.

Fatores como idade dos equipamentos e paradas programadas fazem toda a diferença, até mesmo entre processos da mesma organização.

Que resultados devem ser analisados?

Qualquer ganho percentual do OEE pode representar um ganho considerável no resultado financeiro do negócio, uma vez que reduz falhas como:

  • desperdício de recursos;
  • improdutividade dos operadores;
  • número de produtos defeituosos.

O OEE também permite fazer uma análise mais aprofundada, contribuindo para a tomada de decisões estratégicas. É por meio dele que a gestão consegue identificar a real capacidade que a planta tem para atender às demandas, ajudando a:

  • apontar o melhor e o pior equipamento;
  • decidir entre trocar a máquina ou reformá-la;
  • optar por incluir mais linhas de produção ou ampliar a fábrica;
  • identificar a necessidade de incluir mais um turno de trabalho para atender aos pedidos.

Além de auxiliar em questões estratégicas, a análise do OEE pode levar a melhorias consideráveis no resultado da planta, mostrando onde estão as principais ineficiências dos processos. Fica fácil entender, portanto, por que uma pequena melhoria nesse KPI pode proporcionar uma grande melhoria no resultado geral da fábrica.

Facilmente calculado, esse índice é capaz de mostrar o tamanho da fábrica oculta. Para você ter uma ideia, há exemplos comprovados de que uma melhora de 10% no OEE leva a indústria a ter uma elevação de 30% (ou até mais) em seu resultado. Você não quer sua empresa fora dessa, certo?

Olhando bem para o indicador de Overall Equipment Efficiency, é possível obter informações ligadas ao desempenho de toda a fábrica. Mas precisamos dizer aqui que existem vários responsáveis por controlar esse KPI, visto que ele se reflete em outras áreas.

Assim, como os setores de manufatura, qualidade, manutenção e engenharia respondem igualmente pelo indicador, precisam estar integrados, trabalhando em conjunto para que os números observados se tornem cada vez melhores.

Como você pôde ver, o OEE é um indicador que mostra o desempenho da fábrica sob o ponto de vista da produtividade, da qualidade e da disponibilidade, contribuindo para a análise da eficiência dos colaboradores, das máquinas e dos processos de trabalho.

A partir dele, tem-se uma visão ampla sobre os resultados da planta e o que precisa ser feito para otimizar esses índices.

Por fim, agora que suas dúvidas sobre o assunto foram esclarecidas, que tal aproveitar para saber mais sobre os indicadores mais relevantes para o meio industrial? Confira este conteúdo para conhecer os KPIs mais relevantes!

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em:Mercado B2B

×
0 %