desafios da manutenção desafios da manutenção

Quais serão os principais desafios da manutenção para 2020?

7 minutos para ler

A travessia para um novo ano costuma ser repleta de reflexão, não apenas entre as pessoas, mas também nos vários setores econômicos. Como exemplo, destacamos o segmento central deste blog, a indústria, em especial os desafios da manutenção industrial. Em um exercício de previsibilidade, vários analistas tentam estimar os obstáculos e oportunidades do futuro que se aproxima.

Sendo assim, aproveitamos o momento para embarcar nessa tendência, jogando luz sobre um dilema recorrente em nosso portal. Pois afinal de contas, quais serão os principais desafios da manutenção industrial em 2020? Então, não perca tempo e confira essa e demais curiosidades importantes sobre o tema!  

Os principais desafios da manutenção industrial em 2020

Assim como tudo que cerca o futuro, há muito suspense, especulação e tecnologia. Por conta disso, fundamentamos nossas análises em torno das principais tendências do mercado, examinando como as soluções da Indústria 4.0 demonstrarão sua influência neste novo ano.

Dessa maneira, conseguimos elaborar previsões mais próximas da realidade, sem ignorar toda a movimentação necessária para a adaptação da indústria aos novos formatos de trabalho, seja em matéria de contratações, processos, equipamentos ou tecnologias. Agora, acompanhe!

Automação

A começar pelo tema mais polêmico sobre o futuro industrial. Afinal, há muito tempo que a automação se agiganta no horizonte como um fantasma devorador de empregos, capaz de alavancar a produtividade e reduzir os custos de uma só vez — o que, objetivamente, é uma verdade.

No entanto, é fundamental que, desde já, as indústrias trabalhem na conscientização das suas equipes, demonstrando a importância da especialização para esse futuro inevitável. Por isso, o seu objetivo, enquanto um operador técnico dessa indústria, é trabalhar no seu desenvolvimento acadêmico e profissional, enriquecendo o seu repertório em áreas tecnológicas e gerenciais, tal como programação e liderança.

Assim, resolve-se o desafio mais imediato da indústria, que é garantir a empregabilidade de quem nela opera. Já em um segundo momento, voltamos à manutenção. De uma maneira geral, observamos que a automação trará mais benefícios do que desafios.

Pois, veja, as máquinas e sistemas desse futuro receberão tipos de manutenção muito parecidos com os que existem hoje, com programadores dedicados ao ajuste dos softwares e engenheiros para os hardwares, equipamentos e robôs. Naturalmente, o maior desafio desse futuro será garantir que a força produtiva esteja capacitada, justificando sua permanência no escalão das empresas.

Custos

Para 2020, enxergamos o corte de gastos não somente como um desafio, mas um objetivo. Dizemos isso por conta do reaquecimento produtivo da indústria nacional, que está atenta para todas as oportunidades de negócio, tanto no mercado interno quanto externo.

Por isso, acreditamos que as indústrias reavaliarão seus gastos, identificando excessos e enxugando o maior número de processos, buscando a otimização máxima de seus custos operacionais para ampliar as margens de faturamento.

Com um caixa mais folgado e sem capacidade ociosa, as empresas estarão enxutas e prontas para investir no próprio crescimento, indicando um possível ciclo de alavancagem econômica e industrial.

Por consequência, isso também influencia no tema desse artigo. Afinal, mais do que nunca, as indústrias prestarão uma atenção especial sobre a gestão da manutenção, estudando maneiras mais inteligentes para reduzir perdas, desgastes e problemas.

Envelhecimento

Já aqui, temos um dilema que não ataca apenas a Indústria 4.0 na manutenção, mas a todo o mercado de trabalho. Entretanto, o problema parece mais complexo no meio industrial. A equação é a seguinte: vagas cada vez mais exigentes, profissionais de alta especialização mais velhos e poucas mentes novas sendo injetadas no mercado.

No fim das contas, essa é a fórmula perfeita para um setor predominantemente sênior. Não obstante, vale lembrar que a expectativa de vida do brasileiro também está aumentando, existindo mais estímulos para que as pessoas continuem ativas e trabalhando.

É por esse e outros motivos que as grandes indústrias vêm reimaginando seus ambientes e processos de trabalho, tornando esse universo mais compatível a esse quadro de funcionários.

Logicamente, essa reformulação também passa por um processo de capacitação, sendo fundamental que esses operadores estejam atualizados com as últimas demandas de seu segmento, dominando novas linguagens de programação, abordagens gerenciais e temas afins.

IoT

A tão falada Internet das Coisas. De certa forma, enxergamos que o maior desafio em torno dessa tecnologia é sua aplicabilidade. Afinal de contas, o conceito ainda engatinha em experimentações dentro da indústria, não sendo utilizado em escala global como uma solução absoluta.

No entanto, em matéria de conceito, o IoT pode ser revolucionário. Basicamente, a tecnologia prevê a “computadorização” de todos os dispositivos da cadeia produtiva, interligando processos, departamentos e fases em uma única força de trabalho, com a indústria se tornando uma grande unidade tecnológica, em que todas as etapas estão interligadas às demais máquinas, processos e soluções.

Rastreamento

Em um complemento da tecnologia anterior, existem os desafios de rastreamento. Observando as tendências atuais do mercado, percebemos que soluções como IoT, big data e blockchain podem ser combinadas para entregar previsibilidade, eficiência e rastreamento em tempo real.

Naturalmente, isso ainda depende do sucesso das experimentações atuais para se consolidar como um fator indispensável. No entanto, existe muito otimismo em torno dessas tecnologias, principalmente para que elas revolucionem a logística de mercado.

Monitoramento

Já aqui, temos a solução mais imediata de todas. Pois, veja, para as indústrias, o real desafio nesse tema é implementá-los o quanto antes. Em um todo, os sistemas inteligentes são capazes de alavancar a eficiência e a precisão da análise de falhas na manutenção, sendo algo determinante para aumentar a competitividade de uma indústria no mercado.

Em essência, esses sistemas são a sofisticação técnica e evolutiva das atuais ferramentas utilizadas na manutenção preditiva, que visa monitorar e antecipar o problema nas máquinas, estudando performance e flutuações de desempenho. Nesse sentido, vale notar que bons sistemas já existem, sendo acréscimos importantes para a produtividade das indústrias da nova era.

Meio ambiente

Por último, mas crucialmente importante, destacamos as questões climáticas. Basicamente, as indústrias precisarão mergulhar em salas de reflexão, estudando estratégias que conciliem sustentabilidade, eficiência e eco-responsabilidade.

Sendo assim, percebemos que as empresas que insistirem em uma abordagem agressiva e indiferente poderão sofrer em seus respetivos mercados, sobretudo nas modalidades em que as pessoas são os consumidores finais — em segmentos como o alimentício, têxtil, automotivo, tecnológico e afins.

Pois bem, você gostou dessa jornada sobre os desafios da manutenção e do setor em 2020? Então, não perca a oportunidade de continuar desbravando esse futuro, baixando agora o nosso ebook exclusivo sobre a nova revolução industrial!

Posts relacionados

Deixe um comentário