Estratégias de Custos

Gestão da manutenção industrial: por que automatizá-la?

Todo engenheiro conhece os fundamentos e a importância da manutenção de equipamentos e instalações industriais. O desafio, porém, reside na gestão da manutenção industrial. Muitos buscam adotar práticas que possam reduzir custos e aumentar ao máximo a disponibilidade dos ativos, mas nem sempre obtêm sucesso.

Em tempos da Indústria 4.0, a automação das atividades de gestão da manutenção tem sido um dos métodos mais adotados para garantir maior eficiência nas operações e prover um nível mais elevado de confiabilidade aos equipamentos.

Por isso, neste artigo, você vai entender o papel da automação nesse cenário. Saiba quais os impactos que esse avanço pode trazer para as operações de manutenção e, consequentemente, para todo o negócio!

O que é gestão da manutenção industrial?

A gestão da manutenção engloba uma série de processos que visam monitorar e garantir o correto e regular funcionamento de recursos técnicos dos processos industriais. Para isso, a gestão busca planejar o fluxo dos trabalhos de manutenção, gerenciar os custos e aprimorar a qualidade de produtos e serviços.

A gestão lança mão de diferentes metodologias e tipos de manutenção para alcançar melhores resultados. Essas intervenções podem ser agrupadas em pelo menos duas categorias.

Em primeiro lugar temos as manutenções planejadas:

  • manutenção preditiva: utiliza dados e instrumentos específicos para avaliar o desempenho do equipamento e predizer a deterioração do equipamento, antes que ocorra uma parada crítica;
  • manutenção corretiva: realiza paradas planejadas para fazer correções já esperadas. Dessa forma, apresenta custos previsíveis;
  • manutenção preventiva: o objetivo é evitar que as falhas ocorram por meio de inspeções regulares e substituições de peças ainda em fase de desgaste.

Em contrapartida, há também a manutenção não planejada:

  • manutenção corretiva: é aquela manutenção surpresa, que é feita para resolver problemas inesperados. Por isso, não são programadas e costumam gerar mais gastos.

A gestão da manutenção industrial busca sempre planejar as atividades. Entenda melhor por que esse planejamento é tão importante.

Importância da gestão da manutenção industrial

O alvo da manutenção industrial é garantir que a fábrica e seus ativos estejam em pleno funcionamento para que a produção seja eficiente, com menos custos e alto nível de qualidade. Isso tudo sem descuidar da segurança e do bem-estar de todos os profissionais.

Dessa forma, a gestão de manutenção coordena as atividades para garantir esses objetivos e aumenta a confiabilidade dos equipamentos, provendo meios para que estejam sempre disponíveis para a produção. Assim, paradas não planejadas são evitadas e o desgaste pelo uso inadequado das máquinas também é reduzido.

Por esse motivo, a manutenção industrial e sua gestão não devem ser pensadas como um gasto, mas sim como um investimento, uma vez que estrategicamente são capazes de aumentar a produtividade e reduzir custos, sem perder em qualidade. Nesse momento, a tecnologia surge como base de diversas ferramentas que facilitam a rotina do gestor de manutenção por automatizar diversas tarefas. Entenda melhor esse impacto.

4 benefícios de automatizar a gestão da manutenção industrial

Ouvimos muito falar sobre como as novas tecnologias e suas ferramentas estão transformando os processos fabris. O chão da fábrica se tornou o palco de uma verdadeira revolução, ou melhor, da Quarta Revolução Industrial. Também conhecida como Indústria 4.0, ela tem apresentado vantagens e desvantagens.

Nos tópicos, a seguir, vamos considerar alguns desses benefícios que a automação da gestão de manutenção tem garantido aos negócios!

1. Otimização do planejamento

Softwares integrados às máquinas podem analisar variáveis não vistas pelo gestor para planejar de modo mais eficiente as atividades de manutenção. Por exemplo, o sistema pode perceber uma queda de desempenho em um determinado equipamento e emitir um alerta para o gerente agendar uma inspeção naquela máquina.

Caso de sucesso: Como uma mineradora do Vale do Jequitinhonha otimizou suas operações com PETRONAS Hydraulic

2. Aumento da eficiência dos equipamentos

Quanto mais o equipamento trabalha dentro de suas condições ideais, mais eficiente ele será. Por outro lado, falhas frequentes e deixar a máquina trabalhando no limite reduz os resultados do ativo.

A automação industrial conta com dispositivos e sensores que notificam os profissionais quando o equipamento está sob estresse ou funcionando em cenários inadequados. Nesse contexto, condições adversas são rapidamente detectadas e resolvidas, garantido que o equipamento opere no máximo de tempo possível em um ambiente sempre próximo ao ideal.

3. Maior disponibilidade

Disponibilidade é o tempo em que a máquina está pronta para operar. Assim, quanto menos manutenções corretivas e paradas, mais o equipamento está trabalhando. A automação permite que o número de manutenções corretivas seja menor, e mais inspeções preventivas sejam realizadas. Dessa forma, os indicadores de disponibilidade são alavancados, aumentando a produtividade tanto de uma máquina individual quanto de um setor inteiro.

4. Redução de custos

Um dos principais objetivos ao adotar ferramentas de automação na gestão de manutenção industrial é a redução de custos. As tecnologias integradas permitem que anomalias sejam detectadas antes de causarem falhas graves, que poderiam desencadear perdas financeiras sérias.

Além disso, as manutenções, mesmo corretivas, são mais incisivas, específicas e menos onerosas. O tempo utilizado pela mão de obra é menor, ao mesmo tempo que menos trabalhadores são necessários para realizar as intervenções.

Em um ambiente de gestão automatizada, os custos são mais previsíveis, e o tempo de produção pode ser planejado com maior exatidão, aumentando assim os lucros do negócio. Diante de tantas vantagens da automação da gestão de manutenção, como implementar essas tecnologias? Veja por onde começar.

Como automatizar a gestão da manutenção industrial?

A base da automação é a tecnologia e existem diversas tendências no mercado. Conheça algumas delas!

Internet of Things — IoT

Essa é um dos principais expoentes da Indústria 4.0. São diversos dispositivos conectados à rede e entre si. Assim, na fábrica, cada equipamentos fica conectado a sensores wireless, sistemas de gestão e dispositivos móveis, coletando e enviando dados para apoiar as decisões do gestor.

Alguns dos dados avaliados são temperatura, velocidade de trabalho, posição, pressão, vazão, corrente elétrica, vibração e cor. Qualquer anomalia pode gerar alertas para que intervenções sejam rapidamente programadas.

Analytics

O analytics é utilizado para detectar padrões nos dados brutos coletados e enviados para recomendar manutenções com base nas condições do equipamento em tempo real. Além disso, tendências podem ser previstas, ou seja, o analytics pode calcular a probabilidade de um equipamento apresentar falhas e, assim, planejar o cronograma de modo mais acertado.

Software de Gestão de Manutenção

Os softwares de gestão de manutenção são ferramentas que auxiliam as equipes a planejar as atividades de manutenção e registrar com maior exatidão a vida útil de cada equipamento da empresa. Assim, o fluxo dos trabalhos pode ser mais bem definido. Além disso, o sistema pode ser conectado a dispositivos IoT, ao analytics e aos processos logísticos integrados a fim de aumentar seu potencial de automação.

A gestão de automação industrial traz muita vantagem competitiva para a empresa. Aliada a tecnologias de automação, a gestão fica ainda mais eficiente, reduzindo custos e garantindo maior segurança e disponibilidade aos equipamentos industriais.

Uma outra forma de gerenciar a manutenção é por meio de planilhas. Apesar de menos sofisticadas do que os sistemas automatizados, elas podem ser muito úteis ao gestor. Então baixe gratuitamente agora mesmo nossa Planilha Plano de Manutenção Industrial!

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %