Manutenção Industrial

Engenharia de manutenção nas empresas: qual o seu papel?

Com a rápida evolução da tecnologia presente nos equipamentos, a disponibilidade dos ativos ganhou papel central na rentabilidade da indústria. No setor sucroalcooleiro, por exemplo, correr o risco de ter um trator parado durante a safra, é pôr em xeque toda a lucratividade da lavoura. Por conta disso e da complexidade dos cuidados com as máquinas o engenheiro de manutenção tem se tornado um profissional cada vez mais requisitado nas empresas.

Entretanto, ainda existem algumas dúvidas sobre o que, de fato, ele faz e qual a sua participação na efetiva manutenção dos equipamentos. Para que não restem dúvidas sobre o tema, preparamos este artigo. Nele, você encontrará os detalhes a respeito das atividades gerenciadas por esse profissional e saberá por que, na entressafra, eles são ainda mais indispensáveis.

Entenda o que é a engenharia de manutenção

De forma resumida, é uma especialização do ramo da engenharia. Esse profissional se dedica ao planejamento da manutenção, identificação de falhas, estudo da causa raiz e elabora planos que visem a otimizar e padronizar as rotinas preditivas e preventivas. Além disso, ele também é o responsável por:

  • criar os calendários, planos e metodologia de confiabilidade da manutenção;
  • acompanhar os KPIs, os indicadores chaves de desempenho;
  • elaborar o Planejamento e Controle da Manutenção (PCM)
  • detalhar relatórios de custos e fazer auditoria dos gastos;
  • gerir os ativos e os gastos relacionados a eles.

Entretanto, é preciso entender a importância dessas ações para dar a dimensão exata do papel de um engenheiro de manutenção nas empresas. Em um mercado onde o lucro da safra é determinado por fatores alheios ao produtor, como as flutuações de mercado, demanda e políticas externas, a rentabilidade depende, quase que exclusivamente, da redução de custos.

E eles são muitos, especialmente, no segmento sucroalcooleiro. Um estudo intitulado “Custos ocultos no setor de agronegócio: análise de um caso no sub-setor”, trouxe dados alarmantes sobre os prejuízos de uma usina sucroalcooleira durante a safra. Apenas a ociosidade dos equipamentos, gerou um prejuízo de R$ 4.741.200.00, o que equivale a 54,56% de todos os gastos indiretos envolvidos na safra. 

Para mitigar esse problema, muitos produtores têm visto na contratação de um engenheiro de manutenção uma maneira de garantir o saving. Ter um profissional dedicado a gestão dos ativos envolvidos no campo faz com que a disponibilidade dos ativos aumente consideravelmente. Além disso, é capaz de planejar as paradas de forma a não atrapalhar os trabalhos, prezando pela realização das rotinas durante o período da entressafra.

Engenheiro de manutenção: o que a indústria tem a ganhar com esse profissional

Os riscos de negligenciar as rotinas preventivas, especialmente para indústrias do agronegócio, são muitos ― e custosos, como vistos acima! Agora, você confere as principais vantagens que as empresas têm ao contar com um engenheiro de manutenção. Acompanhe.

Organização e padronização das rotinas de manutenção

O setor sucroalcooleiro é sazonal, assim como grande parte das agroindústrias. Sendo assim, por um lado, o trabalho intenso por meses a fio no período na safra faz com que tudo precise estar impecável para não falhar. E, então, temos a entressafra, onde as máquinas ficam paradas e, consequentemente, muitos dos colaboradores, também. É função do engenheiro de manutenção garantir que o ativo funcionará quando for solicitado e que estará recebendo os devidos cuidados no tempo ocioso. 

Case de sucesso: como o agronegócio ganhou performance com PETRONAS Hydraulic 68

A padronização das tarefas se dá de forma quase que natural. Ao gerir os planos e calendários, o engenheiro determina com exatidão o que, quando e onde deve ser feito. Muitos, inclusive, oferecem treinamentos internos durante a entressafra. Dessa forma, todos os envolvidos nas rotinas aprendem a trabalhar de maneira uniforme, evitando procedimentos diferentes.

Aumento da produtividade

Ter as tarefas planejadas, ferramentas organizadas e saber o que precisa ser feito evita que muito tempo seja desperdiçado. Ainda mais quando falamos em uma usina sucroalcooleira, onde, nem sempre, o trabalho é realizado em locais de fácil acesso. Imagine deslocar uma equipe para uma reparo em uma colhedora de cana que parou. Ao chegar lá, os profissionais percebem que não têm os materiais necessários para realizar o conserto. É esse tipo de desperdício que é evitado ao contar com o auxílio de um engenheiro de manutenção.

Mas a produtividade não aumenta unicamente por esse motivo. O acompanhamento das métricas de desempenho estabelecidas, também, impactam nesse quesito. Com os avanços da tecnologia, é muito mais fácil colher os dados que os equipamentos geram. Entretanto, é preciso analisá-los para poder entender se a performance está dentro do planejado. A análise das vibrações é um bom exemplo. Hoje, elas são facilmente detectadas, portanto, a solução do problema é feita precocemente, evitando que o ativo chegue ao ponto de parar.

Redução de gastos

Todas as ações de um engenheiro de manutenção estão voltados para o saving que o acompanhamento dos ativos pode gerar. Os equipamentos pesados utilizados na indústria fazem com que o colapso seja o pior cenário que se possa imaginar. 

Para se ter uma ideia de como a falta de preservação pode sair caro, vamos usar um trator agrícola como referência. Sem a manutenção adequada dos filtros do motor e do óleo lubrificante, sistemas como as canaletas dos pistões são prejudicados e geram o desgaste prematuro dos cilindros. Com o efeito cascata provocado por esses defeitos, a paralisação da máquina acarreta custos muito mais altos que os que teriam sido investidos nas rotinas preventivas. 

Uma usina sucroalcooleira, claro, envolve outras etapas além dos processos que ocorrem no campo. No artigo, Usina sucroalcooleira: pontos de atenção na hora da manutenção, você conhecerá os principais cuidados com equipamentos e as indicações dos especialistas técnicos da PETRONAS sobre os insumos recomendados. Boa leitura!

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %