Lubrificação

Conheça a linha de lubrificantes de alta performance PETRONAS Compressor A

Independente do segmento, os compressores são umas das partes mais importantes das indústrias. Sua relevância é tanta, que algumas empresas prezam por ter um “reserva”, para substituir o principal quando houver a parada programada de manutenção. Isso porque ficar sem esse equipamento é correr o risco de comprometer toda a produção. Entretanto, por terem diversas finalidades e operarem sob regimes distintos, dependendo do uso, escolher o melhor lubrificante para eles não é tarefa simples.

Buscando atender às necessidades de lubrificação de uma gama variada de compressores, a PETRONAS desenvolveu a linha PETRONAS Compressor A. Nela, seis produtos de desempenho superior atendem e excedem as determinações dos principais fabricantes. Mas, para entender melhor quais os detalhes que devem ser observados na manutenção de compressores, conversamos com os especialistas técnicos João Luis Sant’anna e Bruno Hauber.

Neste artigo, eles explicam quais os principais cuidados com a lubrificação de compressores, como determinar o melhor óleo e os diferenciais da linha PETRONAS Compressor A. Acompanhe as indicações.

Compressores de ar: os principais pontos de lubrificação

O funcionamento de um compressor não muda, mas suas aplicações são muitas. Na siderurgia, por exemplo, podemos encontrá-lo no forno de coque e alto forno; na mineração, nas perfuratrizes e dragas. Ou seja, em um dos cenários, ele precisa operar sob calor intenso; no outro, em um ambiente propício à contaminação

A alta temperatura de descarga a qual os compressores estão sujeitos torna a missão de escolher o fluido exato ainda mais complexa. Esse fator, inclusive, influencia diretamente na longevidade do lubrificante. “Na ficha técnica dos produtos, devem constar a temperatura de descarga e indicação de período de troca. A cada 10 ºC a mais, esse tempo é reduzido pela metade. Como exemplo, podemos citar o PETRONAS Compressor A SYN PAO, que é indicado para operações até 120 ºC e proporciona até 8.000 horas de uso. Caso o compressor opere a 130 ºC, o fluido deverá ser substituído ao completar 4.000 horas”, completa Hauber.

Não por acaso, os principais problemas dos compressores estão ligados à temperatura: a formação de verniz e a oxidação do óleo. Na hora da manutenção, o especialista técnico da PETRONAS ainda indica atentar-se a três pontos:

  • período de troca e saturação do filtro de ar;
  • válvula termostática;
  • radiador de óleo.

Esses três componentes impactam diretamente no desempenho do lubrificante. Por isso, é preciso que estejam funcionando corretamente para conseguir estender o intervalo de substituição do óleo”, completa. 

Os critérios que devem guiar a escolha do lubrificante para um compressor

Embora os compressores tenham o mesmo funcionamento, o que acontece no seu entorno deve ser considerado. Dessa forma, o lubrificante utilizado em um compressor de alto forno é bem diferente do adequado para o ambiente da mineração.

De acordo com os especialistas da PETRONAS, cinco fatores devem ser levados em conta na hora de determinar qual o fluido exato para o compressor da sua indústria. São eles:

  • material manipulado ― ar ou outro tipo de gás;
  • tipo de compressor ― de parafuso ou pistão;
  • lubrificante recomendado pelo fabricante;
  • temperatura de descarga;
  • ambiente de trabalho.

Visando a atender as diferentes necessidades de uma vasta gama de compressores e operações, a PETRONAS desenvolveu a linha de lubrificantes de alta performance, PETRONAS Compressor A. Logo abaixo, você conhecerá as principais informações de cada um dos 6 produtos disponíveis.

Caso de sucesso: Como uma mineradora do Vale do Jequitinhonha otimizou suas operações com PETRONAS Hydraulic

Conheça os produtos da linha PETRONAS Compressor a

Cada compressor tem um uso e um ambiente de operação próprios. Entretanto, os problemas ocasionados pela alta temperatura de descarga são comuns a todos. Por esse motivo, todos os lubrificantes da linha PETRONAS Compressor A oferecem:

  • resistência à formação de verniz e depósitos;
  • excelente estabilidade térmica e oxidativa;
  • proteção contra corrosão
  • aditivos antidesgaste.

Entretanto, todos possuem características próprias que os tornam ideais para os mais diversos tipos de operação. Confira os principais pontos a respeito de cada um dos produtos.

PETRONAS Compressor A M2

  • Óleo básico: mineral;
  • Recomendação de uso: compressores alternativos, rotativos de parafuso e que sejam utilizados em aplicações móveis e estacionárias;
  • Temperatura de descarga: até 100 ºC;
  • Durabilidade: até 2.000 horas.

Conheça todos os detalhes e ficha técnica do produto neste link.

PETRONAS Compressor A M4

  • Óleo básico: mineral;
  • Recomendação de uso: compressores alternativos, rotativos de parafuso e que sejam utilizados em aplicações móveis e estacionárias;
  • Temperatura de descarga: até 100 ºC;
  • Durabilidade: até 4.000 horas.

Conheça todos os detalhes e ficha técnica do produto neste link.

PETRONAS Compressor A M6

  • Óleo básico: sintético;
  • Recomendação de uso: compressores alternativos, rotativos de parafuso e que sejam utilizados em aplicações móveis e estacionárias;
  • Temperatura de descarga: até 120 ºC;
  • Durabilidade: até 6.000 horas.

Conheça todos os detalhes e ficha técnica do produto neste link.

PETRONAS Compressor A SYN PAG

  • Óleo básico: sintético;
  • Recomendação de uso: todos os tipos de compressores de ar utilizados em regiões costeiras, marinhas, que operem em ambientes químicos agressivos ou sob altas temperaturas;
  • Temperatura de descarga: até 120 ºC;
  • Durabilidade: até 8.000 horas.

Conheça todos os detalhes e ficha técnica do produto neste link.

PETRONAS Compressor A SYN PAO

  • Óleo básico: sintético;
  • Recomendação de uso: compressores rotativos de parafuso;
  • Temperatura de descarga: até 120 ºC;
  • Durabilidade: até 8.000 horas.

Conheça todos os detalhes e ficha técnica do produto neste link.

PETRONAS Compressor A SYN POE

  • Óleo básico: sintético;
  • Recomendação de uso: compressores alternativos, rotativos de parafuso os que são utilizados em aplicações móveis e estacionárias;
  • Temperatura de descarga: até 120 ºC;
  • Durabilidade: até 12.000 horas.

Conheça todos os detalhes e ficha técnica do produto neste link.

Como você pôde perceber, a escolha de um lubrificante para compressor envolve diversos fatores. Justamente por ser algo tão detalhado, muitos gerentes de manutenção se sentem inseguros na hora de determinar o melhor insumo. Para auxiliar, a PETRONAS disponibiliza, também, a assistência técnica em lubrificação. Assim, profissionais especializados podem contribuir na busca do melhor fluido. Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas.

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %