Manutenção Industrial

Tipos de tratores: como fazer a manutenção correta de cada modelo?

Todo produtor agrícola concorda que, sem os tipos de tratores disponíveis atualmente, o trabalho no campo seria quase impossível. Junto aos pulverizadores, eles são, sem dúvidas, os equipamentos mais requisitados no agronegócio e isso se deve à sua versatilidade. Com o auxílio dos implementos, essas máquinas fazem parte de todo o ciclo produtivo da lavoura ― auxiliam no preparo do solo aplicando nutrientes e defensivos, participam ativamente do plantio ao demarcar as linhas para colocação das sementes e, claro, têm papel central na colheita. 

Entretanto, cada tipo demanda um cuidado diferente. Ou seja, dentro de uma mesma propriedade, diversas rotinas podem ser requeridas. Esses ativos se dividem, principalmente, em dois grupos: os que têm caixa conjugada e os que não possuem essa integração. Além disso, também são classificados quanto ao sistema de rodado, que pode ser de rodas ou esteira.

Para entender melhor quais as rotinas de manutenção adequadas para cada um dos tipos de tratores, conversamos com o consultor técnico da PETRONAS, Frederico Figueira. Acompanhe as indicações do especialista!

Tipos de tratores: com e sem caixa conjugada

Em termos de manutenção, os tratores se dividem em dois universos: os com caixa conjugada e os sem caixa conjugada. “Os primeiros são aqueles que utilizam um mesmo fluido para a lubrificação de sistema hidráulico, transmissão, eixos e freios. Já os outros, têm esses sistemas separados”, explica Figueira.

Saber qual o utilizado no trator é fundamental para determinar os cuidados e produtos corretos a serem aplicados. Apenas o manual do fabricante poderá dizer qual o tipo de engenharia usada e, aqui, cabe um aviso: é possível que tratores da mesma marca, do mesmo ano, sejam diferentes.

Tratores com caixa conjugada

Nesse tipo de trator, com sistema úmido de freio, são usados basicamente, apenas dois lubrificantes: o óleo de motor e um multifuncional ― normalmente, de viscosidade 10W30 ―, que atenderá a todas as necessidades da caixa conjugada”, explica o consultor técnico da PETRONAS. 

Como você pode imaginar, um produto multifuncional adequado para esse trabalho é bastante complexo. Ele deve ser aditivado com um pacote potente de componentes, especialmente, quando falamos nos freios. “Muitos técnicos de manutenção se atêm apenas para a viscosidade, ignorando os aditivos. Nos freios, isso pode levar à formação de verniz, que cobre os discos de fricção e impede o atrito que aciona a frenagem”, completa Figueira. Esse pode ser, inclusive, um dos motivos que fazem o Brasil figurar no primeiro lugar do ranking mundial de acidentes envolvendo esses equipamentos.

Indicação do especialista

O PETRONAS Arbor MTF 10W30 é um lubrificante multifuncional do tipo UTTO (Universal Tractor Transmission Oil). Foi desenvolvido para suprir todas as necessidades de lubrificação de um sistema com caixa conjugada e atende às especificações de performance dos principais fabricantes de máquinas agrícolas. A presença de modificadores de atrito garante a eficiência de frenagem. Além disso, tem resposta rápida às mudanças de temperatura, o que assegura uma operação estável do sistema hidráulico.

Para conhecer todos os detalhes do PETRONAS Arbor MTF 10W30, acesse a ficha técnica do produto neste link (em inglês).

Tratores sem caixa conjugada

Como você leu há pouco, esse tipo de trator não possui integração entre os sistemas. Dessa forma, seus cuidados englobam mais rotinas, com lubrificantes próprios para cada necessidade. “De um tempo para cá, algumas marcas têm trabalhado apenas com esse sistema”, comenta Frederico.

Indicação do especialista: sistema hidráulico

Desenvolvido para uma ampla variedade de sistemas hidráulicos, o PETRONAS Hydraulic está disponível em várias versões. É formulado a partir de óleos básicos de alta qualidade, aprimorado com melhorador de índice de viscosidade com alta estabilidade ao cisalhamento. O lubrificante suporta uma grande variação de temperatura e, quando comparado a produtos com índices usuais, oferece desempenho até 3x mais duradouro.

Conheça a ficha técnica do PETRONAS Hydraulic neste link (em inglês).

Indicação do especialista: diferencial

O PETRONAS Tutela TRD é um lubrificante mineral multiviscoso que foi desenvolvido para atender às necessidades de lubrificação de caixas de transmissão e diferenciais. Contém um pacote de aditivos completo, com propriedades de extrema pressão (EP), antiferrugem e

antidesgaste. Pode ser usado em todas as aplicações nas quais os fabricantes originais recomendam um produto EP. 

Para mais detalhes e ficha técnica do produto, entre em contato com a nossa equipe.

Indicação do especialista: freios

Para assegurar a confiabilidade desse sistema do trator, é imprescindível manter o nível de óleo na quantidade exata solicitada pelo fabricante. Específico para sistemas de freios a disco ou a tambor, o Tutela TOP 4/S DOT 4, é um fluido sintético com alto ponto de ebulição e baixo ponto de congelamento, o que o faz apto para condições de uso severas. A especificação DOT 4 é referente a absorção de água pelo lubrificante. Nesse caso, ela é neutralizada e mantém o ponto de ebulição alto.

Para mais detalhes e ficha técnica do produto, entre em contato com a nossa equipe.

É importante ressaltar que os produtos são disponibilizados com diversas opções de viscosidade. Para encontrar a indicada para o seu equipamento, recorra sempre ao manual de instruções ― lá estarão informações a respeito da lubrificação adequada e das rotinas de manutenção recomendadas.

Outros tipos de tratores: de rodas ou esteiras

Mesmo que os principais cuidados com a lubrificação estejam intimamente ligados ao sistema de caixa utilizado, é impossível citar os diferentes tipos de tratores sem mencionar as diferenças que podem ser facilmente percebidas. Estamos falando do sistema de rodado. Este se diferencia entre os tratores de rodas (pneus) e os de esteira.

Esse tipo de trator é bastante comum em setores como a construção civil e mineração. Quando usado no campo deve ter uma particularidade: a esteira deve ser de borracha. Isso se dá por conta da velocidade que o equipamento ganha ao usar esse material no lugar das pesadas esteiras de metal. E isso, no agronegócio, é essencial, uma vez que estamos falando de grandes extensões de terra”, explica o especialista. O menor esforço demandado resulta, também, em economia de combustível.

Os tratores de esteira também têm ganhado espaço nesse setor por conta da menor compactação do solo. “Quando o peso é dividido de maneira igual, há um alívio na pressão localizada, que acontece no caso das rodas. Dessa forma, o solo não sofre tanto com o peso do equipamento”, comenta Frederico. 

De todo modo, esse modelo de trator não está apto a todo tipo de trabalho. A borracha da esteira é muito mais delicada que a utilizada nos pneus. Por conta disso, em terrenos irregulares ou com muitas pedras, pode estragar com facilidade. Nesses casos, o rodado de pneus é o mais indicado.

O rodado pneumático, como é chamado o sistema de rodas do trator, demanda atenção quanto a dois pontos: a calibragem dos pneus e a fixação dos parafusos. É preciso se certificar que todos os que fixam os aros, discos e anéis de peso estejam devidamente apertados. Agora que você já sabe quais os principais tipos de tratores e os lubrificantes mais indicados para a manutenção de cada um, entre em contato com a nossa equipe e solicite um orçamento.

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %