Mercado B2B

Manutenção a distância: como estruturar?

É inegável que a pandemia de Covid-19, que chegou ao Brasil no início de março de 2020, fez com que muitos projetos que incluíam o uso da tecnologia fossem forçados a sair do papel. “Mesmo que, no futuro, algumas atividades retornem à normalidade, as empresas estão enxergando uma nova forma de trabalhar”, comenta o consultor técnico da PETRONAS, Júlio Henrique Viana Sabino. A manutenção à distância, por exemplo, já vinha dando alguns passos nas indústrias brasileiras, mas foi frente à crise que se tornou imprescindível para manter as atividades e a segurança dos colaboradores.

Para entender melhor como funciona essa nova modalidade de assistência, conversamos também com o especialista João Luís Amaral Sant’anna. Os consultores falaram sobre as dificuldades que algumas empresas ainda enfrentam ao implementar a manutenção a distância e quais são as iniciativas que a PETRONAS vem tomando para garantir o respaldo técnico aos seus clientes.

Manutenção a distância: como funciona?

O primeiro ponto que precisa ser elucidado sobre a manutenção a distância é que ela se refere às rotinas preventivas. “O foco deve estar sempre na prevenção dos problemas. Na indústria do papel e celulose, por exemplo: por ser tratar de uma atividade severa e exercida em local extremo, onde as máquinas trabalham de forma constante, negligenciar esses cuidados pode acarretar graves problemas mecânicos. Evitar paradas não programadas deve ser o trabalho principal da equipe”, pontua Júlio Viana. Isso porque as manutenções corretivas necessitam da presença dos técnicos, enquanto as preventivas podem ser acompanhadas a distância.

Gestão da Manutenção Industrial

“A medição de temperatura dos redutores é um exemplo. Existem aparelhos que, de fato, acompanham esse critério, assim como o consumo de energia e a vibração desses sistemas, mas estamos falando de empresas que contam com 40, 50, redutores. Demandar um aparelho de medição para cada equipamento encarece muito a operação, embora, realmente, agilize o processo”, comenta João Luís. 

Entretanto, isso não significa que a visita técnica seja a única saída para monitorar esses fatores. “Um único colaborador, em posse de apenas um aparelho, pode realizar esse trabalho internamente, enviando os dados para a análise técnica”, completa João. Ou seja, mesmo que a coleta dos dados ainda seja, em grande maioria, in loco, a leitura e orientações remotas são perfeitamente possíveis.

Quais as iniciativas da PETRONAS no campo da manutenção a distância?

Já não é novidade para os clientes e parceiros da PETRONAS o suporte técnico remoto oferecido pela empresa. Em caso de dúvidas, as equipes de manutenção podem entrar em contato direto com a assistência técnica em lubrificantes, que orienta, tira dúvidas e ajuda a determinar os melhores fluidos para cada operação. Durante a pandemia, esse serviço foi essencial. Foi assim que muitas empresas mantiveram suas operações, controlaram a entrada de terceiros em suas plantas industriais e garantiram a segurança dos seus colaboradores ― bem como o pleno funcionamento dos equipamentos.

Entretanto, outras ações também foram postas em prática para assegurar o completo suporte técnico aos clientes. Acompanhe.

Treinamentos

As videochamadas passaram a fazer parte do dia a dia das indústrias como forma de manter o trabalho diante das medidas de isolamento social. A PETRONAS também começou a se utilizar dessa facilidade na hora de oferecer os treinamentos necessários às equipes de manutenção.

“Antes, quando o treinamento era oferecido na sede do cliente, a conversa acontecia com uma ou duas pessoas, geralmente, da assistência técnica. Agora, por videochamada, conseguimos reunir mais colaboradores, por vezes, de diferentes setores ― mas que têm relação direta com as rotinas de manutenção, como financeiro e estoque ― e também abordar outros temas”, comenta João Luís.

Industrial Toolbox App

Outra iniciativa da PETRONAS foi a criação de um aplicativo (disponível para iOS e Android) que auxilia na tomada de decisão a respeito dos lubrificantes mais indicados para cada atividade e maquinário. Perguntas importantes são respondidas por meio de uma interface simplificada, onde o usuário encontra a planta industrial de diversos segmentos, com os principais equipamentos e as indicações de lubrificantes PETRONAS para cada um.

Além disso, também dá acesso a informações importantes quanto à lubrificação dos ativos e disponibiliza uma calculadora de análise de consumo. Outros materiais informativos também estão na ferramenta, uma forma de qualificar o setor técnico e garantir acesso às boas práticas de lubrificação adotadas pela PETRONAS.

Manutenção a distância: por onde começar?

Como qualquer processo remoto, a manutenção a distância exige que muitos procedimentos sejam revistos. Algumas das soluções disponibilizadas pela Indústria 4.0, como os sensores de acompanhamento, citados anteriormente, já são uma realidade. Por outro lado, a grande maioria ainda conta com rotinas que envolvem diretamente a presença de um ou mais colaboradores. A transição para a manutenção a distância não precisa ser abrupta, mas, para isso, é preciso estruturar essa metodologia na base.

Tudo começa com a escolha dos fornecedores e a compra dos insumos. Um evento tão drástico quanto inesperado como a pandemia de Covid-19 em 2020 mostrou que a análise da cadeia de suprimentos é de suma importância em momentos de crise. Aqueles que escolhem parceiros que oferecem assistência técnica remota, certamente, se diferenciam na hora de manter as máquinas trabalhando frente às adversidades.

A PETRONAS é um exemplo: antes mesmo de prestar apoio durante as manutenções preventivas, atua junto ao cliente para garantir que a escolha do insumo seja a mais precisa possível. Um bom exemplo de como esse cuidado pode impactar na indústria são os números obtidos pelo PETRONAS Urania K, lubrificante 100% sintético, multiviscoso, recomendado para motores a diesel que operam em condições severas, como é o caso do setor de papel e celulose.

Como o uso de lubrificantes sintéticos ajudou na economia de R$2,1 milhões em uma usina

“Esse lubrificante tem sido um dos mais utilizados, uma vez que tem excelente performance e atende às características necessárias para o equipamento por mais tempo”, completa João Luís. Um estudo conduzido pela PETRONAS, junto a um de seus clientes, mostrou que a sua utilização garantiu uma economia mensal de mais de R$ 180 mil ― totalizando um saving de mais de R$ 2 mi/ano.Agora que você já sabe que a manutenção a distância é uma realidade para quem conta com parceiros como a PETRONAS, entre em contato com a nossa equipe e solicite um orçamento.

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em:Mercado B2B

×
0 %