Lubrificação

Conheça PETRONAS GEO para motores a gás natural

O uso dos motores a gás natural não é nenhuma novidade. Essa tecnologia já está disponível há mais de 30 anos, além de ser mais barata que a utilizada nos elétricos. Entretanto, o Brasil ainda não utiliza o combustível de forma maciça, assim, o gás natural fica na quinta posição na matriz energética nacional. De todo modo, mesmo não sendo um grande mercado, ainda é bastante expressivo. Esse fato fez com que a PETRONAS passasse a disponibilizar a linha PETRONAS GEO, lubrificantes premium específicos para motores a gás natural, no país, em 2017, após o alinhamento global dos produtos industriais.

Na indústria, os motores a gás têm ganhado espaço graças a seus resultados superiores aos que operam com Diesel. Dentre eles, podemos citar:

  • saving de até 50% no custo operacional;
  • diminuição de mais de 20% na emissão de CO2;
  • redução de material particulado e NOx de até 90%.

A facilidade logística também ganha pontos sobre o Diesel. Os motores a gás não necessitam de tanques de combustível; possibilitam operações prolongadas por não demandar abastecimento e não requerem lavador de gases ou catalisadores. Essas vantagens, aliadas à crescente preocupação em encontrar fontes de energias mais limpas, têm feito dos motores a gás natural uma boa opção para diversos segmentos da indústria.

Entretanto, esses equipamentos possuem diferenças significativas quanto ao seu projeto e funcionamento, o que requer produtos específicos para essas operações. Para entender melhor esses detalhes, conversamos com os especialistas técnicos da PETRONAS, João Luís Sant’Anna e Bruno Hauber, que comentaram os produtos disponíveis na linha PETRONAS GEO. Acompanhe.

Conheça a linha PETRONAS GEO 

“Nos motores a gás natural existe uma particularidade: há aqueles que trabalham com gás natural, o resquício do petróleo, e os que operam com biogás, proveniente de aterros sanitários. Essa diferença é crucial na construção dos equipamentos, o que os leva a ter necessidades diferentes de lubrificação”, explica Hauber. 

O gás natural, independente do tipo, também requer algumas especificidades do óleo lubrificante. Um bom exemplo são as cinzas formadas na combustão. Ao queimar o óleo a 800 °C, alguns resíduos podem se formar e, do ponto de vista ambiental, quanto menos depósitos, melhor. “Entretanto, alguns dos aditivos que aumentam o TBN (total base number, ou seja, a reserva alcalina necessária para que o lubrificante combata os ácidos resultantes da combustão) podem favorecer a formação desses resquícios. Esse foi o grande desafio da PETRONAS ao criar essa linha: encontrar o equilíbrio perfeito entre a aditivação, não deixando cair o TBN, a fim de gerar o mínimo de detritos possível”, acrescenta Santa’Anna. 

PETRONAS GEO NG SAE 40

Esse é um lubrificante premium, formulado a partir de óleos básicos de alta qualidade e aditivado com propriedades antidesgaste, antioxidante, antiespuma e dispersante, entre outras. O PETRONAS GEO NG SAE 40 foi especialmente desenvolvido para a lubrificação de uma ampla gama de motores a gás com ignição por centelha, o que melhora a eficiência do combustível e reduz a emissão de poluentes.

Um dos seus grandes diferenciais frente à concorrência é o controle de depósitos nos pistões, redução na formação de verniz e cinzas, estabilidade térmica e resistência à oxidação e nitração. O PETRONAS GEO NG SAE 40 atende às especificações recomendadas pelos maiores fabricantes de motores a gás:

  • Caterpillar 3500 e 3600 series;  
  • GE Jenbacher Classe A & B gases, motores Tipo 2, 3, 4 e 6;  
  • Guascor;  
  • MAN;  
  • MTU;  
  • MWM TR-0199-99-2015;  
  • Wartsila;  
  • Waukesha.

PETRONAS GEO BLG SAE 40

Também específico para motores a gás natural, o PETRONAS GEO BLG (sigla referente a  Bio and Landfill Gas) é utilizado naqueles que têm os aterros sanitários como fonte. Como o gás advindo desses lugares contém uma grande quantidade de impurezas, é preciso que o lubrificante tenha diferentes características. Isso porque, nesse caso, há uma grande presença de ácidos sulfídricos, que impactam no TBN, TAN, oxidação e viscosidade do fluido; bem como de siloxanos que, durante a combustão, produzem uma sílica microcristalina que agride a superfície dos motores.

Case de sucesso: como o agronegócio ganhou performance com PETRONAS Hydraulic 68

Assim como a versão NG, o PETRONAS Geo BLG também atende às especificações de performance dos principais fabricantes, entre eles:

  • GE Jenbacher Classe B & C gases, motores Tipo 2, 3, 4 e 6;
  • Waukesha;
  • MAN (M3271-4).

Teste com PETRONAS GEO BLG mantém TBN estável e reduz o consumo de lubrificante

Recentemente, a PETRONAS realizou um teste do PETRONAS GEO BLG com um de seus parceiros. Este, utilizava motores a gás de aterro sanitário e percebia o alto consumo de lubrificante que o equipamento demandava. Além disso, os índices de retenção de TBN também estavam aquém do esperado.

Ao fim do teste, o produto PETRONAS manteve todas as suas características dentro dos parâmetros exigidos. No caso do TBN, a utilização do PETRONAS GEO BLN SAE 40 apresentou variação percentual menor durante o uso. Isso mostra que o fluido tem uma maior resistência aos ácidos provenientes do gás. Consequentemente, essa estabilidade se reflete na vida útil do equipamento.

Em relação ao consumo, os resultados foram ainda mais expressivos. De acordo com João Sant’Anna, apesar de ser um lubrificante monoviscoso, o PETRONAS GEO BLG SAE 40 utiliza óleos básicos de qualidade superior, o que garante um índice de viscosidade acima de 100 e menor perda por evaporação. Em um único motor isso representa uma economia superior a  30 litros/mês, o que gera um saving mensal de mai de 500 litros, se considerarmos a quantidade de motores do cliente. 

Nesse caso, assim como em todos os outros que garantiram economia ao utilizar os produtos PETRONAS, a assistência técnica em lubrificação teve papel central nos resultados obtidos. Após o estudo das necessidade de lubrificação, análise do maquinário e dos requisitos exigidos pelos fabricantes, a equipe conduz a busca pelo insumo mais apropriado. Por meio desse trabalho, muitos recursos podem ser otimizados com pequenas mudanças, além assegurar maior disponibilidade e vida útil dos ativos.

 Entre em contato com a nossa equipe e solicite um orçamento.


Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %