Estratégias de Custos

Máquinas de corte de madeira: como economizar com a lubrificação correta

O setor de papel e celulose conta com um maquinário bastante diversificado. Especialmente para as empresas que lidam com as duas fases do processo de produção, a florestal e a industrial. Desde as máquinas de corte de madeira até a prensa dos fardos, os dispositivos estão submetidos a processos bastante agressivos. Isso, é claro, traz consequências para o maquinário. Entre as principais estão:

  • erosão e abrasão: resultados das partículas sólidas que ficam em contínuo contato com as faces de metal;
  • corrosão: tem relação direta com os químicos usados em tarefas como o branqueamento da celulose.

Neste artigo, focaremos na primeira etapa, especificamente na extração da madeira. As máquinas de corte são o “coração” dessa parte da produção e, portanto, nada mais natural que recebam atenção especial da equipe de manutenção. Para poder indicar os cuidados mais adequados, conversamos com os especialistas técnicos da PETRONAS, Bruno Hauber e Júlio Sabino. Acompanhe e confira os principais insights.

Checklist: 10 fases da lubrificação by PETRONAS

Máquina de corte de madeira: os pontos de atenção na lubrificação do harvester

Quando o assunto são as máquinas de corte de madeira, é impossível não mencionar o harvester. Ele é quem irá, de fato, realizar a extração das toras e, devido a essa característica operacional, o desgaste é um fator bastante presente. Essa é uma máquina capaz de, além de realizar a derrubada da árvore, também seguir com a retirada de galhos, o descascamento do tronco e o traçamento no comprimento exato, previamente estabelecido.

A tecnologia trazida pela Floresta 4.0 tem tornado esses equipamentos cada vez mais modernos e completos, o que exige que os profissionais de manutenção estejam constantemente em busca de insumos de qualidade superior. Até porque a produtividade de um harvester pode ser impactada por diversos fatores. O estudo Modelagem técnica e de custos do Harvester no corte de madeira de eucalipto no sistema de toras curtas, por exemplo, mostrou dados importantes. Entre eles, que a produtividade é maior e os custos de produção menores em condições onde o declive do terreno era menor e havia maior volume por árvore. Para se ter uma ideia, o rendimento do equipamento chega a ser 8,26% maior quando a operação é realizada em aclive.

Porém, como você pode imaginar, o gestor não tem controle sobre esses fatores. Afinal, independente da inclinação do terreno, o harvester precisará acessá-lo para seguir com a colheita. Portanto, cabe a ele buscar alternativas para diminuir custos de outras formas. A lubrificação desse equipamento é uma das mais eficazes. Veja, a seguir, os principais pontos e como eles contribuem para a economia da área florestal no segmento de papel e celulose.

Lubrificação Industrial

Motor

As indicações para os motores podem variar muito e, por isso, os especialistas são categóricos em afirmar que eles é quem “escolherão” o lubrificante a ser comprado. Entretanto, eles apontam para um produto que vem sendo cada vez mais utilizado em máquinas de corte de madeira, o PETRONAS Urania K. O óleo 100% sintético conta com uma tecnologia exclusiva, a ViscGuard™, que o faz ir contra uma das principais premissas dos óleos comuns: a perda da viscosidade com o uso. É normal que isso aconteça, deixando o fluido mais líquido. O Urania K mantém a faixa de viscosidade por mais tempo, o que ajuda a estender o seu intervalo de troca. O lubrificante também está de acordo com as exigências das OEMs e tem a homologação dos mais rigorosos institutos de controle de qualidade.

Transmissão

Em alguns modelos de máquina de corte de madeira, é possível que os sistemas hidráulico e de transmissão estejam ligados e demandem um único lubrificante para ambos. Quando esse for o caso do harvester, a indicação dos especialistas fica por conta do PETRONAS Arbor MTF BF. Este é um produto semissintético que contém aditivos antidesgaste, anticorrosivos e antiespumantes, o que resulta em um lubrificante que atende aos requisitos de performance exigidos pelos principais fabricantes. Sua utilização impacta diretamente na vida útil de engrenagens e rolamentos.

Entretanto, existem aqueles cuja transmissão é um sistema independente. “Nesses casos, é comum o fabricante solicitar que seja usado um produto com alto índice de viscosidade. Um produto bastante utilizado nesses casos é o PETRONAS Hydraulic HV”, pontua Júlio Sabino. Desenvolvido para uma ampla variedade de sistemas hidráulicos, ele é formulado a partir de óleos básicos de alta qualidade, aprimorados com melhorador de índice de viscosidade com alta estabilidade ao cisalhamento. Também oferece desempenho estável em várias temperaturas, o que garante proteção onde a partida a frio acontece frequentemente.

Sabre

Essa é a parte que faz o corte da madeira. Ou seja, é uma parte do harvester que fica bastante exposta e acaba sofrendo muito com desgaste”, explica Bruno Hauber. Mesmo que o corte seja mais rápido quando a velocidade da corrente e a força do avanço do sabre são maiores, esses fatores levam ao desgaste excessivo e, consequentemente, menor vida útil do conjunto de corte. Além disso, demandarão mais esforços em lubrificação. Por isso, mais que apenas seguir as recomendações sobre as especificações do insumo, é necessário se certificar de que os ajustes também seguem as recomendações do fabricante.

Profissional da Indústria 4.0

Para garantir a integridade da corrente do sabre, os especialistas técnicos apontam outro produto do portfólio PETRONAS, o Arbor CMS. Este é um produto que consegue alcançar pontos importantes no que diz respeito à economia. A excelente adesividade, por exemplo, evita que o lubrificante se desprenda da superfície durante o uso do sabre. Essa característica também contribui para que o intervalo de reposição seja maior. Formulado com óleos básicos minerais selecionados de alta qualidade, conta com eficientes aditivos antidesgaste (isento de metais pesados), antioxidantes e anticorrosivos.

Junto às indicações de produtos a serem utilizados nas máquinas de corte de madeira, os especialistas enfatizam a necessidade de manter o calendário de manutenção rigorosamente em dia. Somados, esses cuidados, garantem uma vida útil maior dos componentes e muito mais produtividade, que sempre se traduz em economia.

Se quiser conhecer melhor a efetividade de alguns dos produtos mencionados neste artigo, baixe gratuitamente o e-book Case de Sucesso: o uso de lubrificantes de motosserra em uma indústria de papel e celulose. Aproveite e inscreva-se no nosso canal no Telegram para receber nossas novidades em primeira mão.

Acompanhe o que há de novo na industria também pelo Telegram

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %