Manutenção Industrial

Quais os principais cuidados com motores a diesel?

Os motores a diesel são parte fundamental da economia brasileira. Utilizados, principalmente, em ônibus e caminhões, são conhecidos por diminuírem os custos do transporte. Mas o que muitos não sabem é que, se a manutenção for negligenciada, esse saving pode ir por água abaixo. Por ser um combustível bastante ácido, facilita a formação de fuligem. Esta, se não for controlada, diminui o intervalo entre as trocas de lubrificante e a vida útil do sistema.

O diesel representa entre 30% e 40% dos custos envolvidos no transporte de cargas. Para reduzir esse gasto, há quem se deixe levar pela oferta de combustível abaixo dos preços praticados no mercado. Por isso, o cuidado começa na hora de encher o tanque, uma vez que produtos adulterados levam à contaminação do óleo, entupimento de filtros e bicos injetores, perda de potência e aumento no consumo.

Armazenagem e manuseio de lubrificantes

Entretanto, mesmo entre aqueles que prezam por utilizar um insumo de qualidade, os motores a diesel exigem atenção do setor de manutenção. Neste artigo, elencamos os 3 principais pontos de cuidado. Acompanhe.

Motores a diesel: 3 pontos que a manutenção deve ficar atenta

O próprio funcionamento dos motores a diesel já os tornam um ativo delicado, do ponto de vista dos cuidados preventivos. Isso porque a queima do combustível acontece dentro dos cilindros. Porém, diferente dos movidos à gasolina, a combustão não acontece por uma faísca de ignição, mas, sim, pela temperatura do ar altamente comprimido. Outra diferença significativa é que o diesel tem uma capacidade de vaporização menor e essa queima incompleta é a responsável pela geração de fuligem.

O oxigênio, ao entrar em contato com o diesel, explode no interior dos cilindros, movimentando o pistão e gerando a energia mecânica. Esse é o motivo pelo qual esses motores são mais barulhentos, uma vez que o caminho do pistão é mais longo e ele precisa de mais torque para compensar a baixa vaporização do combustível.

Entendidas essas particularidades, confira a seguir os principais pontos de atenção na hora de realizar a inspeção dos motores a diesel. Confira.

1. Filtros

O óleo diesel é um combustível mais “pesado” que a gasolina. Por ser mais viscoso, os filtros podem ficar sobrecarregados mais facilmente. Ele também é higroscópico, ou seja, tem uma grande capacidade de absorver água. A medida que o veículo roda, a umidade do ar entra em contato com o diesel por meio dos respiros do tanque. E, como água e óleo não se misturam, ocorre a decantação, que a mantém na parte inferior do filtro de combustível.

Caso essa água chegue até os bicos injetores, ocorrerá oxidação e corrosão dos componentes. Esse é um problema grave e, infelizmente, bastante comum. Estima-se que cerca de 80% dos problemas em motores a diesel tem como fonte a presença de umidade no motor. É recomendado que a drenagem do filtro aconteça diariamente, antes de dar a partida no veículo. Quanto à troca, a orientação é sempre seguir o que está estipulado no manual do fabricante.

2. Sistema de refrigeração

A própria queima do combustível, junto à movimentação das peças, é responsável por fazer com que o controle de temperatura dos motores a diesel seja rigoroso. Caso isso não aconteça, as consequências incluem maior consumo e emissão de fumaça preta. Manter a temperatura adequada (entre 85º C e 95º C) é função do sistema de arrefecimento, que é composto por:

  • radiador: o ideal é que a água do radiador tenha pH em torno de 8,0 a 9,5 e contenha agentes inibidores de corrosão. A qualidade da água utilizada não interfere no desempenho do motor, mas causa danos irreparáveis a longo prazo, como a formação de depósitos sólidos, que podem dificultar a troca de calor;
  • lubrificante: ele também tem papel importante no resfriamento dos motores a diesel. Por esse motivo, é fundamental seguir as especificações do fabricante quanto à viscosidade de propriedades físico-químicas;
  • válvula termostática: tem em seu interior um líquido termostático e controla a temperatura por meio do fluxo de água entre o motor e o radiador;
  • mangueiras: conduzem a água do motor para o radiador e do radiador até a bomba d’água;
  • bomba d’água: que faz a água circular do depósito inferior para dentro do motor.

Esse sistema contém, ainda, outros componentes, como ventoinha, camisas d’água e sensor de temperatura. Aqui, é preciso que sejam verificados, constantemente, a água e o óleo utilizados.

3. Vibração

A vibração é natural em equipamentos com motores a diesel. Mas o fato dela ser um fator intrínseco à operação não significa que ela não possa sinalizar anomalias no funcionamento do ativo. Para identificar as irregularidades, a manutenção preditiva é fundamental. Hoje, já estão disponíveis diversos tipos de coletores de vibração que possuem interface com o computador e dão aos gestores muito mais agilidade na supervisão dos resultados.

Outro método, é o uso de ultrassom para encontrar falhas ou irregularidades nas superfícies. Embora esses instrumentos sejam amplamente difundidos na indústria de modo geral, sua utilização ainda é tímida na manutenção automotiva. Dessa forma, adotá-los é um investimento que se converterá em diferencial competitivo.

Inspeções diárias: o que o motorista pode fazer para garantir a integridade dos motores a diesel

O calendário de manutenções preventivas, claro, deve ser seguido à risca! As análises preditivas também são importantes para acompanhar o estado real do veículo. Mas, junto a esses cuidados, existem algumas ações diárias que contribuem para o bom desempenho dos motores a diesel.

Gestão de Frotas

É importante incluir os motoristas da frota nas rotinas e, até mesmo, elaborar um checklist com os pontos de inspeção diária. Entre eles, podemos citar:

  • conferência do estado do óleo ― na hora de olhar o nível, perceba se existem detritos metálicos ou borras;
  • checagem dos filtros de óleo e ar;
  • drenagem do filtro do motor;
  • verificação do nível do óleo;
  • nível de água do radiador.

Esse acompanhamento diário tem papel essencial no aumento da vida útil dos motores a diesel. Mas, claro, não excluem a inspeção periódica pelos profissionais de manutenção.

Agora que você já sabe quais os principais cuidados que os motores a diesel exigem, conheça um case do setor de transportes onde a escolha do óleo lubrificante ideal garantiu a extensão da vida útil dos ativos. Leia a entrevista com o diretor de operação da Auto Viação São José dos Pinhais, Dante Filho, neste link.

Para continuar acompanhando as novidades do Inovação Industrial, cadastre-se na lista do Telegram.

Acompanhe o que há de novo na industria também pelo Telegram

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %