capacidade produtiva capacidade produtiva

Como o cálculo de capacidade produtiva impacta os custos da indústria?

6 minutos para ler

Acompanhar e reduzir os custos de uma indústria é uma meta almejada por muitos gestores, concorda? No entanto, para realizar esses objetivos é preciso ter atenção a uma série de fatores — o cálculo de capacidade produtiva é um deles.

Neste texto, falaremos sobre as diferentes maneiras que ele impacta os custos industriais e como isso acontece. Além disso, mostraremos que deve ser definido e analisado para determinar esse índice. Aproveite o conteúdo!

Qual é a importância do cálculo de capacidade produtiva para as indústrias?

Para preparar este artigo, conversamos com Karina Donati, que é engenheira química e pós-graduada em gestão de negócios e desenvolvimento humano de gestores. Ela atua como agente regional de mudança com foco em produtividade na Belgo Bekaert Arames — líder no mercado brasileiro de fabricação de arames.

De acordo com a especialista, o cálculo de capacidade produtiva no ambiente indústria pode ser comparado à capacidade financeira de uma pessoa, ou seja, o quanto ela ganha. “Não é possível executar a gestão de um orçamento sem saber o quanto você pode gastar, certo? Na gestão de produção, isso também acontece, porque entender essa capacidade é a primeiro passo para tomar qualquer decisão relevante”, explica. 

Dito isso, cabe ressaltar que a capacidade produtiva consiste na quantidade máxima de produtos que uma indústria consegue produzir em um período de tempo, levando em conta os recursos — materiais, humanos, financeiros etc. — disponíveis. 

Com a volatilidade mercadológica, gerada pela ampla concorrência e pela imprevisibilidade de demanda, a importância de calculá-la cresce ainda mais. Afinal, ela é fundamental para o controle e para o planejamento tanto de processos quanto de custos. Dessa forma, é possível evitar uma produção insuficiente ou excessiva em relação àquilo que o mercado pede em intervalos específicos de tempo. 

Ao ser questionada a respeito das principais evoluções que têm acontecido na área ao longo dos últimos anos, Karina mencionou que há um avanço crescente nesse sentido e que tem se dado por meio das tecnologias disponíveis. Isso tem gerado ferramentas estão cada vez mais aprimoradas e integradas.

Como o cálculo de capacidade produtiva interfere nos custos da indústria?

Segundo a engenheira, quando se fala em capacidade de produção na indústria, é preciso levar em consideração todo o processo produtivo — equipamentos, transporte, logística armazenamento e pessoas. Portanto, “se um desses itens está superdimensionado em relação ao restante do fluxo do processo, teremos desperdícios e, consequentemente, um impacto direto e negativo nos custos de operação em geral”, constata. 

Imagine uma indústria que adquiriu determinada quantidade de equipamentos. Depois de um tempo, notou-se que a compra foi além do necessário para a produção que se pretendia fazer em um semestre, por exemplo. Nesse caso, ocorreu um investimento dispensável, que poderia ter sido redirecionado para outras necessidades inerentes à produtividade industrial

Em alguns casos, como bem explicado por Karina, a má aplicação de recursos gerada pela ausência do cálculo de capacidade tende a causar gargalos ao produzir. Para exemplificar ainda mais: de pouco adianta contar com diversos profissionais para executar as manutenções e não dispor de lubrificantes adequados para cada aplicação. Nessa situação, o tempo de parada dos equipamentos poderia crescer, prejudicando toda a cadeia produtiva. 

Como definir e analisar a capacidade produtiva de uma indústria?

Agora que você conhece a importância e o impacto desse cálculo, é preciso entender o que deve ser feito para definir e analisar essa capacidade em sua indústria. Veja, a seguir, os principais passos a serem dados. 

Analise o processo como um todo

De acordo com a especialista, é necessário analisar o fluxo de processo completamente e considerar todas as etapas envolvidas. “Todos os pontos devem ser observados e registrados com atenção. Nem sempre é o equipamento que determina a capacidade de um processo”, indica. Ela também chama a atenção para a necessidade de identificar os pontos mais lentos ou gargalos operacionais, porque representam os maiores riscos à produção e demandam acompanhamento frequente. 

Conheça a capacidade instalada

A capacidade instalada nada mais é do que calcular a capacidade de produção do equipamento por hora. Se uma planta industrial conta com 100 máquinas, que são operadas por 14 horas do dia, a capacidade instalada diária total é de 1400 horas, valor gerado pela multiplicação entre esses dois fatores. É oportuno destacar que esse cálculo é embasado em um cenário ideal, sem paradas ou quaisquer outras complicações que possam interromper a produção. 

“A empresa deve buscar utilizar ao máximo a sua capacidade instalada — isso garante que ela recupere os investimentos feitos e atinja a saúde financeira para novos aportes”, recomenda Karina. A engenheira também faz a ressalva de que uma indústria dificilmente opera no máximo de sua capacidade produtiva em todas as etapas. Segundo ela, esse ponto só é alcançado quando se atinge a maior eficiência possível no gargalo do fluxo produtivo.

Defina a capacidade de cada produto

A capacidade cada produto consiste na quantidade de unidades que uma indústria pode fabricar em um período. Ela é obtida pela seguinte fórmula:

capacidade de cada produto = capacidade instalada/ tempo que se leva para a produção de uma (01) unidade.

Mantenha a qualidade

O controle de qualidade é outro aspecto de suma importância. Afinal, “operar com capacidade produtiva máxima não pode ser um risco para a qualidade do produto.”, explica Karina. 

Todos os procedimentos que garantem a qualidade precisam fazer parte do cálculo de capacidade e nada pode justificar o não cumprimento de tais etapas. Essa ideia também se aplica à segurança do trabalhador.

Aplique as melhores técnicas para aumentar a capacidade

“Existem ferramentas disponíveis para análise e redução de perdas dentro de metodologias já conhecidas no universo da gestão industrial. Para cada problema, é necessário um diagnóstico e uma análise. Depois disso, eles devem ser associados a um plano de ação voltado à obtenção de melhorias”, recomenda a especialista.

O cálculo de capacidade produtiva pode ser determinante em relação ao controle de custos de um negócio. Portanto, utilize-o como um aliado para manter a performance de sua indústria em alta. 

Se você gostou desse conteúdo, aproveite para baixar gratuitamente nosso e-book sobre gestão de compras na indústria!

Posts relacionados

Deixe um comentário