Manutenção Industrial

Colheitadeira de grãos: quais os pontos de atenção na manutenção?

Um dos equipamentos mais utilizados no agronegócio, se não estiver nas mais perfeitas condições de uso, também pode ser um grande gargalo no quesito desperdício. Ou seja, enquanto as colheitadeiras são as maiores responsáveis pelo faturamento, também têm poder de comprometer significativamente o lucro da safra. Segundo a Embrapa, apenas a plataforma de corte é responsável por até 85% das perdas de grãos durante a colheita. Isso sem contar, claro, outros custos que a falta de manutenção pode gerar.

A colheitadeira é um equipamento versátil e atende às necessidades de colheita de uma série de culturas. Entretanto, não é porque a mesma máquina pode ser usada para diferentes grãos que o uso deve ser igual para todos. A falta de regulagem da plataforma, facas de corte, ventiladores e peneiras são detalhes que não podem passar despercebidos na hora do uso.

É esse o motivo que faz com que, mesmo robustas, as colheitadeiras sejam máquinas delicadas, bastantes suscetíveis às condições de uso. Dessa forma, todos aqueles que interagem com o equipamento são, de alguma forma, responsáveis pelo seu bom desempenho. Para entender melhor quais os cuidados com a manutenção, inclusive a diária, desse ativo, conversamos com o gerente de vendas para o setor de Agronegócio da PETRONAS, Frederico Figueira.

Os principais pontos de atenção na manutenção da colheitadeira de grãos

A depreciação do maquinário agrícola deve sempre estar na pauta da equipe de manutenção. No caso da colheitadeira de grãos, o recomendado é que os custos com os cuidados preventivos não ultrapassem 25% do valor total do equipamento após o quarto ano de uso. Isso faz com que os cuidados aconteçam regularmente, não apenas no período pós-safra.

“A conferência da colheitadeira de grãos deve ser diária. Os operadores, antes de ligá-la, devem conferir itens básicos, mas imprescindíveis para o bom desempenho. Óleo do motor, integridade dos filtros, água, o estado da peneira e limpeza das facas de corte são prioridades”, comenta Figueira. Para garantir esse cuidado, grandes empresas do segmento oferecem treinamento pré-safra para os operadores, visando a esclarecer dúvidas e orientar sobre os cuidados diários preventivos.

Ao fim da colheita, a colheitadeira de grãos costuma ficar guardada por longos períodos. E é antes de deixá-la inativa que a manutenção deve acontecer. Assim, evita-se armazenar a máquina com desajustes que, ao ser utilizada novamente, possam resultar no colapso do equipamento. “Essa é uma máquina exposta ao uso severo, o que faz com que o desgaste seja um problema bastante comum. É importante buscar reduzi-lo ao máximo, evitando trepidações e quebra do equipamento”, orienta o engenheiro da PETRONAS. 

Os pontos de atenção, se dividem em dois: os internos e os externos.

Pontos de atenção externos

A colheitadeira de grãos é um equipamento composto por diversas partes móveis, como eixos das esteiras e elevadores. A manutenção deve dar atenção especial à lubrificação desses componentes, que são bastante sujeitos ao desgaste por uso. 

A vistoria externa também deve procurar por avarias nos dentes (metálicos ou de plástico), peneiras e realizar a limpeza da máquina. Esse último cuidado, por sinal, é um dos mais importantes para que a colheitadeira de grãos esteja pronta para a próxima colheita. Durante a inspeção, pode-se encontrar pontos de oxidação gerados pela umidade causada pelo acúmulo de palha, que devem ser tratados imediatamente para evitar o surgimento da corrosão.

Pontos de atenção internos

Aqui, o foco está nos conjuntos que mantém a máquina funcionando, como o motor e sistema hidráulico. O primeiro passo para a manutenção eficiente desses sistemas é a leitura do manual do equipamento. Lá é possível encontrar todas as recomendações específicas para tal ativo, uma vez que as diretrizes podem variar de acordo com o fabricante.

Frederico Figueira reforça a necessidade de utilizar insumos que reduzam o atrito das peças. A revisão do motor é um dos processos principais na manutenção das colheitadeiras. Por ser um dos pontos mais sensíveis, sua quebra pode custar alto. Ele também está exposto às condições externas, uma vez que folha e palhas, que tenham contato com ele, podem causar a oxidação dos componentes. 

Case de sucesso: como o agronegócio ganhou performance com PETRONAS Hydraulic 68

Deve-se ainda realizar reaplicação dos fluidos necessários assim que a máquina encerrar a colheita. Por lidarem com um ambiente de trabalho severo e, dependendo do terreno, bastante hostil para os sistemas internos, os mecanismos são arduamente exigidos.

Lubrificação: o ponto principal na manutenção da colheitadeira de grãos

A lubrificação dos sistemas, móveis ou não, é a melhor forma de prevenir desgaste prematuro das peças e garantir a disponibilidade do equipamento durante a colheita. Como mencionado anteriormente, o motor e sistema hidráulico devem ser as prioridades dos responsáveis pela manutenção. 

Para facilitar o trabalho da manutenção, e também dos responsáveis pela aquisição dos insumos, confira quais os lubrificantes mais indicados para colheitadeiras de grãos pelo responsável pelas vendas para o agronegócio. Acompanhe.

Baixe gratuitamente: [E-book] Guia: Melhores práticas da compra de lubrificantes industriais

PETRONAS Arbor BF: proteção para o sistema hidráulico

Máquinas que operam sob condições severas, como as colheitadeiras de grãos, exigem muito dos fluidos hidráulicos. Portanto, é necessário investir em tecnologia e qualidade para preservar o bom desempenho do maquinário.

O PETRONAS Arbor BF proporciona performance duradoura para a operação nos meses de colheita, sendo adequado para o uso em sistemas hidráulicos de colheitadeiras de grãos e também nos freios de tratores. Além disso, oferece:

  • compatibilidade com elastômero e borracha, o que melhora a vida útil dos componentes;
  • excelente fluidez a baixas temperaturas, possibilitando um tempo de reação eficaz;
  • proteção contra corrosão das peças internas;
  • boa estabilidade térmica.

O fluido também atende às especificações ISO 7308 e ESSAYOS INTA – UNE 26-109-88. Para conhecer os detalhes técnicos do PETRONAS Arbor BF, acesse a ficha técnica do produto, neste link (em inglês).

PETRONAS Urania 5000: aumento da vida útil do motor

Elaborado com a tecnologia ViscGuard™, o PETRONAS Urania 5000 é um lubrificante semissintético, de viscosidade 10W40, que ajuda a reduzir o consumo de fluido pelo motor de máquinas que operam sob condições severas, como é o caso da colheitadeira de grãos. Assim, o produto mantém sua integridade por mais tempo, aumentando o intervalo de troca.

Com aditivos que protegem contra corrosão, oxidação do fluido e desgaste das peças, o lubrificante auxilia no aumento da vida útil do motor. O PETRONAS Urania 5000 atende às seguintes especificações: 

  • SAE 10W-40
  • API CI-4
  • ACEA E7/E4
  • MB 228.5
  • MAN M 3277
  • Volvo VDS-3
  • MTU Category 3
  • Mack EO-M+/EO-N
  • Renault RXD/RDL-2
  • Cummins CES 20078
  • DEUTZ IV-10
  • Detroit Diesel 93K215
  • Global DHD-1

A manutenção das colheitadeiras de grãos é imprescindível para a competitividade do agronegócio. Entretanto, todos os outros ativos devem receber atenção constante para evitar as paradas não programadas e a interrupção da produção. Confira o material Gestão da Manutenção Industrial e aprenda a encontrar gargalos e gerar oportunidades por meio dessas ações.

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %