Estratégias de Custos

O que você perde ao não inovar na base de fornecedores da sua indústria

Ter uma boa base de fornecedores é crucial em segmentos como o sucroalcooleiro. Especialmente para as usinas que contam, também, com a parte de plantio. Afinal, como qualquer atividade agrícola, o calendário de safras precisa ser cumprido. Para que isso seja possível, é necessário que o parceiro tenha condições de cumprir com as entregas e o lead time adequado. Entretanto, mesmo aqueles que lidam apenas com a etapa industrial devem inovar a lista em busca de novas oportunidades.

Porém, você pode estar pensando que a sua base de fornecedores está em dia e que não há nada a ser explorado além do que já consta nela. Mas saiba que pensar assim é bastante prejudicial para a sua indústria. Embora o bom relacionamento com os parceiros seja essencial, é preciso cuidado para que ele não se torne dependência. Caso isso aconteça, a empresa fica à mercê da capacidade, preços e oscilações do mercado fornecedor. Por isso que inovar o rol é tão importante.

Mas não é apenas esse o motivo que torna a atualização da base de fornecedores uma atitude cada vez mais recomendada aos profissionais de suprimentos. Neste artigo, mostraremos outras três razões para inovar sua lista de parceiros. Acompanhe!

Ebook Competitividade em alta

3 razões para inovar sua base de fornecedores

Um estudo analisou comparativamente os custos de produção da cana-de-açúcar e mapeou os principais, do plantio até a colheita. Sem surpresa, os gastos com insumos foram os maiores, seguidos da mecanização, depreciação dos equipamentos, mão de obra, despesas administrativas e arrendamentos. E quando falamos em insumos, é necessário destacar que esse termo é bastante amplo. Ele engloba desde a aquisição de materiais de escritório até aqueles mais estratégicos, como lubrificantes ou matérias-primas. Ou seja, sem uma boa base de fornecedores, é impossível manter as atividades no ritmo planejado.

É claro que a compra de indiretos, como os itens de escritório citados acima, exigem cuidado. Até porque nessas aquisições é possível encontrar ótimas oportunidades de saving. Mas é na defasagem da base de fornecedores de insumos estratégicos que as consequências são maiores ― e mais prejudiciais para a indústria. Abaixo, confira quatro delas para entender os motivos de atualizar sua lista.

1. Parcerias estratégicas

O gerenciamento de fornecedores pode proporcionar muito mais que melhores negociações. A partir dele é possível, inclusive, desenvolver parceiros estratégicos importantes. Quando isso acontece, tem-se uma relação de cooperação onde o fornecedor se envolve diretamente na solução das demandas. E um bom exemplo vem do setor sucroenergético.

Em entrevista ao Portal Inovação Industrial, o gerente corporativo de manutenção automotiva da Biosev, Carlos Scatena Filho, comentou sobre uma dificuldade comum ao setor. Por conta das condições extremas de operação e o ambiente bastante propício à contaminação do óleo, era necessário buscar uma solução que fizesse os equipamentos produzirem por mais tempo. “O principal desafio da empresa naquele momento, sem dúvidas, era encontrar um lubrificante de qualidade, que suportasse esses fatores e levasse as máquinas a parar menos”, comenta.

Leia na íntegra: [ENTREVISTA] BIOSEV comenta como a parceria com a PETRONAS apoiou em sua estratégia de melhoria de produtividade e eficiência operacional

Junto à PETRONAS, fornecedora de graxas e lubrificantes, a Biosev trabalhou no desenvolvimento de um produto que suprisse essas necessidades. Após um longo processo onde estiveram envolvidos diferentes profissionais, testes e estudos, chegou-se à fórmula do PETRONAS Urania K 10W40.

Para Scatena, os resultados superaram as expectativas: “O setor sucroenergético é bastante dependente da redução dos custos operacionais, como os que envolvem os insumos utilizados. Dito isso, hoje, contamos com um produto que estendeu a troca de óleo de 300 horas para 600 horas, portanto, reduziu a parada do equipamento pela metade. Isso faz com que a máquina tenha uma disponibilidade maior, que é um indicador importante para qualquer atividade no setor. Existem muitos pontos a serem citados, inclusive, o ambiental, que é impactado por essa maior periodicidade de descarte de lubrificante usado”.

2. Oportunidades de inovação

Contar com parcerias estratégicas pode, inclusive, acelerar o processo de inovação dentro da sua indústria. Visto o cenário tecnológico trazido pela Indústria 4.0 nas fábricas, e  agricultura de precisão no campo, manter-se atualizado nunca foi tão importante para a competitividade. Ao inovar a base de fornecedores, oxigena-se também o relacionamento com o mercado e as informações recebidas, como portfólio e tendências.

No exemplo acima, isso fica bastante explícito. A empresa tinha uma demanda que não podia ser suprida com as opções já disponíveis no mercado e a expertise do parceiro foi utilizada para encontrar uma solução mais eficiente.

[Websérie] Episódio 2: A importância de um bom fornecedor

3. Profissionalização da área de compras

Inovar na base de fornecedores é acrescentar um grande mix de novas possibilidades à indústria. Além, é claro, dos novos produtos que a empresa passa a ter acesso, os processos gerenciais também são afetados positivamente. Isso porque lidar com uma lista atualizada e mais abrangente faz com que os compradores adotem um ritmo mais ágil e resolutivo em relação às demandas. A inserção de tecnologias é outro ponto estimulado. Afinal, a Indústria 4.0 não se resume às inovações no chão de fábrica e a área de suprimentos precisa acompanhar esse novo cenário.

Ter uma equipe de compras inserida no universo 4.0, certamente, trará muitas oportunidades. Por exemplo: os leilões eletrônicos são uma ótima ferramenta para uma negociação rápida e assertiva. Hoje, o formato tradicional está disponível no on-line, por meio de plataformas específicas, o que elimina muitos dos custos que estariam envolvidos no modelo tradicional.

Como você pôde ver, inovar na base de fornecedores é capaz de levar muitos benefícios para diferentes esferas da empresa. Alcançar um maior saving na compra, estender a vida útil dos ativos, reduzir custos com paradas e, até mesmo, a revisão de processos gerenciais são algumas das vantagens que se tem ao oxigenar a lista.

Entretanto, não basta apenas adicionar novos parceiros à base. É preciso, também, avaliá-los constantemente. No artigo Avaliação de fornecedores: por que fazer recorrentemente? você conhece as razões para adotar essa prática e o que considerar nesse momento.

Aproveite e inscreva-se na lista exclusiva do Portal Inovação Industrial no Telegram. Lá você recebe nossas novidades e insights sobre o mercado industrial brasileiro em primeira mão.

Acompanhe o que há de novo na industria também pelo Telegram

Você também vai gostar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
0 %